“Soldado Milhões” — o filme e a lenda

António Louçã

O filme de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão da Costa que agora estreou será, para o público escassamente informado sobre a Primeira Grande Guerra, uma reconstituição estimulante de ambientes e de personagens. À primeira vista, as entorses ao rigor histórico serão desculpáveis com o formato de “ficção histórica” que é o do filme. Ler o resto do artigo »



A Catalunha e o cárcere europeu

Pedro Goulart

Nos últimos dias, vimos nos média que as procuradorias espanhola e alemã estão a colaborar estreitamente na negociação de uma eventual extradição de Carles Puigdemont para Espanha. Recordamos que Puigdemont foi detido pela polícia alemã, em colaboração com a polícia espanhola, quando o dirigente político independentista catalão regressava à Bélgica, vindo da Dinamarca. Ler o resto do artigo »



Criminosos e cúmplices no ataque à Síria

Manuel Raposo

O bombardeamento da Síria por parte dos EUA, Reino Unido e França, na noite de 13 para 14, não espanta ninguém. Ele foi o segundo acto da fantochada iniciada pelo governo britânico com o caso Skripal. De facto, a representante dos EUA na ONU (o robô Nikki Haley), quando falou sobre o suposto envenenamento do ex-espião, enunciou logo os alvos em toda a sua extensão: Síria, Rússia, Irão. Ler o resto do artigo »



O síndrome das Lajes

Urbano de Campos

A forma empenhada e mesmo entusiástica como a comunicação social alinhou pelos EUA e Reino Unido no caso Skripal mostra que as críticas às “loucuras” de Trump (ou do seu émulo britânico Boris Johnson, ministro dos Negócios Estrangeiros) não são para levar a sério. Toda a direita, mas não só, repetiu à letra os argumentos da imprensa e dos fazedores de opinião norte-americanos e britânicos. Como Barroso e Portas que, na cimeira das Lajes em 2003, “viram” todas as provas de que Saddam Hussein era um perigo para o Planeta. Ler o resto do artigo »



As “armas de destruição massiva” ainda rendem

Urbano de Campos

A campanha contra a Rússia, com a expulsão de dezenas de funcionários diplomáticos — a pretexto do envenenamento de um ex-espião russo ocorrido em Inglaterra — tem todos os traços e mais algum de uma montagem combinada dos EUA e do Reino Unido. E enquanto não houver, como certamente não haverá, provas provadas das acusações feitas pelo governo britânico, é como uma montagem que o caso deve ser tratado. Tal como as armas de destruição massiva o foram para a invasão do Iraque. A questão reside, pois, nos fins políticos da operação. Ler o resto do artigo »



Uma mão lava a outra

Manuel Raposo

RioCristasDá vontade de rir a súbita preocupação que, nos tempos mais recentes, perpassa nas fileiras do PSD e do CDS a respeito da “matriz ideológica” de cada um deles. No PSD, os apoiantes de Rio reclamam o regresso aos “valores” da “social-democracia”, contra o que terá sido uma “deriva liberal” da época Passos Coelho. No CDS, vincam-se os “princípios” da “democracia cristã”. Ler o resto do artigo »



A América de Trump na senda da guerra

Pedro Goulart

trump-supportersDonald Trump demitiu no Twitter Rex Tillerson do Departamento de Estado — responsável pela diplomacia dos EUA — e anunciou a sua substituição pelo até agora director da CIA, Mike Pompeo, que havia sido nomeado em 2017 pelo próprio Trump. Tillerson, apesar de ser um homem de direita, nem sempre afinava pelo mesmo diapasão: as divergências com o actual presidente dos EUA eram várias. Ler o resto do artigo »



Mulheres espanholas mostram o caminho

8 de Março: cinco milhões em greve de 24 horas

Urbano de Campos

8MarçoEspanhaCentenas de protestos e manifestações por toda a Espanha assinalaram o Dia Internacional da Mulher, 8 de Março. Numa iniciativa praticamente inédita (antes, só em 1975 as mulheres islandesas fizeram o mesmo), foi lançada a ideia de uma greve das mulheres em protesto contra a desigualdade de salários e de acesso ao trabalho, contra a violência de que são alvo, por iguais direitos. A adesão foi maciça. Mais de 5 milhões de pessoas paralisaram o trabalho por 24 horas. Ler o resto do artigo »



Acusado por denunciar violação de direitos humanos

Carlos Completo

PrisõesAntónio Pedro Dores foi mais uma vez acusado pelo Ministério Público devido às várias denúncias e queixas apresentadas pela ACED a várias instituições nacionais e internacionais sobre a situação existente em prisões portuguesas. ACED é a Associação contra a Exclusão pelo Desenvolvimento, de que este investigador e professor do ISCTE foi fundador. Ler o resto do artigo »



A chave do “crescimento”

Manuel Raposo

Vigília de trabalhadores da Gramax (ex-Triumph)Os aleluias que o PS e apoiantes cantam ao crescimento da economia (2,7% em 2017 e 2,2% previstos para este ano) e à “convergência com a Europa” que esses números parecem apontar não conseguem esconder as enormes fraquezas, de condições de vida e de trabalho, em que permanece a população assalariada. Na verdade, o “êxito” assenta sobretudo no tremendo rebaixamento social que as classes trabalhadoras sofreram, não apenas nos anos da troika-PSD-CDS, mas nas últimas décadas — rebaixamento que persiste no essencial. Ler o resto do artigo »



Um combatente que parte

Faleceu, com 93 anos, o coronel Varela Gomes

VarelaG2João Varela Gomes começou por se destacar no combate à ditadura ainda no tempo de Salazar. Nos anos de chumbo em que se inicia a guerra colonial, participa na revolta de Beja, na madrugada de 1 de Janeiro de 1962. O assalto ao Regimento de Infantaria 3 pretendia ser rastilho para que mais unidades militares se rebelassem; e, nesse aspecto, segue a linha de outras tentativas de subversão do regime que fazem do “acto exemplar” e do golpe militar a via para o derrube do fascismo. Isolada, a revolta fracassa, mas deixa o sinal de que a ditadura podia e devia ser enfrentada também à mão armada. Ler o resto do artigo »



Espanha: repressão e censura

Pedro Goulart

ArcoEm 22 de Fevereiro, em Madrid, os reis de Espanha inauguraram a conhecida feira de arte ARCO, envolvida este ano em grande polémica. A exposição de fotografias “Presos Políticos na Espanha Contemporânea” foi retirada por exigência dos responsáveis pela organização da feira, sob o pífio pretexto de que a peça iria prejudicar a visibilidade do conjunto dos conteúdos que reúne a Arco Madrid 2018. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

Liquidação e despedimentos no Grupo Ricon

Pedro Goulart

RinconA Ricon, um dos maiores grupos têxteis do País, também vai para liquidação. Mais uma empresa insolvente. Mais uma empresa em que as trabalhadoras fizeram vigilância contra a saída de valores da empresa. São cerca de 600 pessoas mandadas para o desemprego. Em 31 de Janeiro, o Tribunal de Comércio de Vila Nova de Famalicão decretou o encerramento e liquidação da Rincon Industrial SA. Ler o resto do artigo »



AutoEuropa

Saúda-se o regresso da luta de classes

Manuel Raposo

AEgrevePaz social, pôr água na fervura, não ampliar o conflito — todos estes apelos têm servido para tentar acabar com a resistência dos trabalhadores da AutoEuropa à prepotência da administração da empresa. Somaram-se os agoiros de que a Volkswagen se iria embora e deixaria toda a gente no desemprego. Lançou-se o alarme de que o PIB do país viria por aí abaixo. Lamentou-se a falta de um dirigente “com carisma” como António Chora, que conseguiu a proeza de manter sossegados, durante 20 anos, milhares de trabalhadores, à custa de acordos com os patrões da VW sempre acertados à mesa. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

Autoeuropa: resistir ao aumento da exploração

Pedro Goulart

AutoEuropaOs trabalhadores da Autoeuropa iniciaram em 29 de Janeiro um novo horário imposto administrativamente pela empresa e que obriga a trabalhar aos sábados. Em Dezembro, após a rejeição de dois pré-acordos negociados com a Comissão de Trabalhadores, mas que foram rejeitados em votação pela esmagadora maioria dos trabalhadores, a Autoeuropa anunciou um novo modelo de trabalho de 17 turnos semanais. Ler o resto do artigo »



Justiça de classe e justiça de clã

Carlos Completo

Justiça obesaComo já temos afirmado (nunca é demais repeti-lo), a justiça que se pratica num estado capitalista, como Portugal, é uma justiça de classe. Nela, os trabalhadores e os pobres não podem confiar. Segundo as leis das classes dominantes, os patrões podem continuar “legalmente” a explorar os trabalhadores e os explorados acabam geralmente a perder nos pleitos judiciais com o patronato.
Mas também há a justiça de uma ou mais fracções das classes dominantes contra outras, como actualmente acontece no Brasil. Ali, as classes trabalhadoras e os mais pobres ficam nitidamente a perder, além de, se confiarem nessa justiça, estarem, também, a alimentar o movimento fascizante a ela acoplada. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

General Electric despede em Setúbal

400 postos de trabalho em risco

Pedro Goulart

GEA General Electric (GE) prepara-se para encerrar a fábrica de Setúbal, acabando com 200 postos de trabalho, a pretexto de uma reestruturação do seu negócio de energia na Europa, afirmando que tal é motivado pelos desafios que o mercado energético mundial enfrenta. No total, a GE vai despedir 12 mil trabalhadores, 18% da sua força de trabalho a nível mundial. Saliente-se que, no caso português, à semelhança do que acontece em muitos outros casos, houve apoio financeiro do anterior governo e do AICEP à empresa para investimentos e criação de mais postos de trabalho. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

Cofaco ameaça despedir 180 operárias conserveiras

Greve de solidariedade em perspectiva

Pedro Goulart

greve-cofaco-picoA empresa conserveira Cofaco abriu uma fábrica na ilha do Pico em 1963. Dona das conservas Bom Petisco, a Cofaco pretende actualmente construir uma nova unidade fabril na Madalena, mas anunciou que vai despedir cerca de 180 trabalhadores da actual fábrica durante o período em que a infraestrutura estiver a ser edificada. Apesar de a administração se ter comprometido aos trabalhadores — na maioria mulheres — reintegrar, dentro de cerca de dois anos, grande parte dos funcionários, as dúvidas são muitas. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

Greves e protestos revelam maior descontentamento

Pedro Goulart

Triumph_cropApesar da travagem à subida de impostos e da reposição de alguns rendimentos às classes trabalhadoras nos últimos dois anos, aumenta a precariedade no emprego e continuam baixos os salários de quem trabalha. Em alta continua a insaciabilidade do patronato, secundada pelos seus capatazes e “analistas” de serviço. E das instâncias cimeiras, a nível nacional e internacional, prosseguem as pressões e chantagens do capital visando desmobilizar a luta dos trabalhadores e diminuir os seus rendimentos. Ler o resto do artigo »



Opressão sexista e poder imperial

António Louçã

timesup2Já antes a opressão sexista tinha estado no centro de polémicas a propósito de figuras como Bill Clinton ou Dominique Strauss-Kahn. Agora, a denúncia do caso Harvey Weinstein, além de reacender o debate sobre a opressão sexista, traz à luz do dia alguns traços psicológicos da oligarquia que domina o mundo. Ler o resto do artigo »





Exército israelita mata a sangue frio

Nesta sexta-feira 30, uma manifestação pacífica de mulheres, homens e crianças palestinianos reclamava, dentro das fronteiras de Gaza, o direito de retorno às casas de onde foram expulsas em 1948 as suas famílias. O espírito que levou a população de Gaza a aproximar-se da fronteira imposta por Israel é bem ilustrado por esta afirmação de um dos manifestantes, reproduzida pelo enviado especial do Le Monde: “Queremos enviar uma mensagem ao ocupante. Estamos de pé, existimos”. Ler mais »

“Um teatro cuidadosamente montado”

O jornalista australiano John Pilger, um dos poucos com coragem para denunciar os crimes do imperialismo, como fez a respeito da invasão do Iraque em 2003, definiu o caso Skripal (ver entrevista à RT) como “um teatro cuidadosamente montado” pelo governo e pela imprensa do Reino Unido com o apoio do parlamento. Destaca ele que “é extraordinário que haja uma tentativa de homicídio e um local de crime e não haja provas nenhumas”. Ler mais »

Eles protegem-se

O vergonhoso convite a Passos Coelho para professor catedrático numa universidade pública portuguesa (o ISCSP) mostra bem como o poder protege o poder. Bem se esforçam os apaniguados por enaltecer os “conhecimentos” de Passos Coelho e valorizar a “experiência” do homem como primeiro-ministro, mas não se safam do que é evidente: compadrio, nepotismo. O tacho entregue de mão beijada a Passos Coelho, para além do mais, fê-lo passar à frente de professores que esperavam a sua ocasião, razão suplementar para os abaixo-assinados que circulam contra a nomeação.
Nada disto demoveu o deputado e dirigente do PS Sérgio Sousa Pinto de vir em socorro de Passos Coelho, achando muito bem o convite. Ler mais »

Heitor da Silva, militante anticapitalista

HeitorFaleceu aos 79 anos, em 21 de Agosto de 2017, no Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, vítima de cancro, o companheiro Carlos Alberto Heitor da Silva.
No 25 de Abril de 1974, então empregado do Hotel Ritz, em Lisboa, participou empenhadamente na fundação da Comissão de Trabalhadores e nas reivindicações dos empregados da indústria hoteleira. Como já havia sido, em Santo António dos Cavaleiros, um dos grandes dinamizadores da Associação de Moradores local.
Posteriormente, aderiu ao Partido Revolucionário do Proletariado (PRP), estando envolvido nas diversas lutas então acompanhadas e desenvolvidas por este partido. Foi, e manteve-se sempre ao longo dos anos, um grande defensor do Poder Popular. Mais tarde, havia de participar nos Grupos Dinamizadores de Unidade Popular(GDUP´S). Mostrou sempre ser um militante empenhado, generoso e solidário. Ler mais »

Morreu Francisco Ribeiro, lutador antifascista

FranciscoRibeiro_crop
Com 101 anos de idade, morreu Francisco José Rebelo Ribeiro. Foi um lutador antifascista, residente durante muitos anos e até ao final na cidade de Aveiro, várias vezes detido e torturado pela PIDE. Depois do 25 de Abril, empenhou-se no apoio às candidaturas presidenciais de Otelo (1976 e 1980) e foi um activo organizador local da revista “Versus” (1983-1988).
Um dos filhos de Francisco Ribeiro, o capitão da Força Aérea Júlio Ribeiro, fora dos poucos que não abandonaram os paraquedistas da Base de Tancos aquando da deserção de 123 oficiais em vésperas do 25 de Novembro de 1975. Apareceu depois morto, em circunstâncias mal esclarecidas, que o pai sempre tentou investigar. Ler mais »

Trabalhadores das IPSS reclamam mais direitos

Os trabalhadores das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) reúnem-se dia 26 de Fevereiro, em Lisboa, num encontro nacional para debater o papel destas instituições, desfilando depois até ao Ministério do Trabalho para entregar uma resolução com várias reivindicações.
No encontro, os trabalhadores vão defender que os protocolos de cooperação que o Governo faz com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) passem a ter uma rubrica específica para os trabalhadores da IPSS. A grande maioria destes trabalhadores ganha o salário mínimo nacional e quer melhorar o contrato colectivo de trabalho no sentido de obter mais direitos, nomeadamente as 35 horas semanais.

CTT: greve e manifestação em 23 de Fevereiro

Os trabalhadores dos CTT marcaram uma greve nacional e uma manifestação para 23 de Fevereiro, contra a redução de pessoal e o encerramento de postos de atendimento. Esta decisão de encerramento irá provocar um aumento das deslocações dos utentes, o que, no caso da população mais idosa, dependente dos Correios para o levantamento das suas pensões, se revela bastante complicado.
Os quatro sindicatos que convocam a greve e a manifestação, convidam a população a juntar-se ao protesto em que contestam os despedimentos, o encerramento de estações de correio e a sobrecarga de trabalho dos carteiros, defendendo a reversão da privatização dos CTT-Correios de Portugal e um serviço postal universal de qualidade.

Liberdade para Ahed Tamimi e todas as crianças palestinianas presas

AhedTamimi
Vigília, sábado 13 janeiro, 15h00, Largo Camões, Lisboa

Uma menina desarmada de 16 anos faz tremer o “poderoso” Estado de Israel.
Chamam-lhe “agressora” porque, juntamente com a sua prima Nour, esbofeteou dois soldados no pátio da sua casa, em frente de uma câmara de vídeo. O exército invadiu-lhe a casa pela calada da noite e levou-a presa, a ela, à mãe e à prima.
No tribunal militar, juntaram várias acusações sobre os últimos cinco anos. Dizem que ela uma vez alvejou soldados com uma fisga e noutra mordeu a mão de um que queria levar preso o seu irmão mais novo. Apontam-lhe “crimes” cometidos desde os 11 anos de idade. Ler mais »

Termina a edição em papel do MV

O colectivo do Mudar de Vida decidiu acabar com a edição do jornal em papel, iniciada há 10 anos. O n.º 59, correspondente a Setembro-Outubro do ano findo, foi, portanto, o último a ser publicado — tendo ficado assegurado que todos os assinantes receberam os exemplares correspondentes.
Esta decisão vem na sequência do balanço que fizemos e divulgámos em Outubro passado, quando o MV completou uma década. O custo e o esforço que a edição em papel implicava, e a noção de uma certa inutilidade (uma vez que toda a gente hoje usa a internet) levou-nos a optar por concentrar forças no meio que é mais eficaz: a página electrónica. Ler mais »

Dito

Na realidade, é a parte mais pequena e estritamente indispensável do produto que é destinada ao operário; apenas o que é necessário, não para que ele exista como homem, mas para que ele exista enquanto operário; não para que perpetue a humanidade, mas para que perpetue a classe escrava dos operários.
Karl Marx, Manuscritos de 1844

Derrubando mitos

O historiador Fernando Rosas apresenta na RTP2, aos domingos, um excelente programa sobre o colonialismo português em África. Desde as guerras ditas de “pacificação” do final do século XIX, até à criação do mito salazarista da pátria multicontinental e multi-racial, são escrutinados os processos de implantação do domínio colonial, através dos seus momentos mais significativos. A expropriação das populações rurais autóctones, o trabalho forçado, a criação dos empórios dos diamantes, do café, do cacau, as violências diárias, as prisões para os “recalcitrantes”, as execuções sumárias, mas também a resistência das populações africanas e o nascimento do nacionalismo independentista — são passados em revista, dando uma perspectiva que subverte a história dominante sobre a suposta brandura do império luso. Ler mais »

Mudar de Vida, 10 anos

Completaram-se em Outubro dez anos desde que o jornal Mudar de Vida começou a ser publicado, nos suportes internet e papel. Os seus propósitos, expressos no estatuto editorial, eram ambiciosos. Mas eram os que se impunham a uma publicação que pretende romper com a informação dominante, mesmo considerando a colossal desproporção de forças.
Essa ambição assentava numa base de apoio que permitia acalentar esperança de sucesso, mesmo elementar. Algumas dezenas de activistas vindos de diversas origens discutiram e aprovaram a sua constituição. Vários núcleos de apoio e de distribuição prometiam uma difusão militante com alguma dimensão. Algumas ligações a empresas e a grupos de trabalhadores activos davam possibilidade de contacto com os problemas do trabalho e as lutas concretas.
Dez anos volvidos, muito pouco resta desta estrutura embrionária. A maioria dos colaboradores iniciais afastou-se, os núcleos locais deixaram de existir, as fontes directas de informação secaram. Ler mais »

Falta de vergonha

É habitual surgirem muitas promessas e grande demagogia nas campanhas eleitorais como aquela que neste momento acontece em Portugal. É apenas mais um exemplo de uma absoluta falta de vergonha o que agora se passa com o PSD em Almada. Maria Luis Albuquerque, ex-ministra das finanças do governo PSD/CDS em tempos da troika, é candidata a presidente da Assembleia Municipal de Almada e vem defender uma baixa de impostos, precisamente o contrário do enorme aumento de impostos que ela e o seu colega Vítor Gaspar aplicaram aos portugueses, particularmente às classes trabalhadoras.

Terror “branco”

As autoridades do Reino Unido anunciaram a detenção, em princípio de Setembro, de quatro membros de um grupo neonazi entre os quais estão militares no activo. São suspeitos de estarem a preparar atentados terroristas no país, diz a polícia. Se os indivíduos fossem árabes ou muçulmanos, não faltariam vozes a falar num “confronto de civilizações” visando destruir a “nossa democracia” e o “nosso modo de vida”.

Aproveitadores

O PSD, que, há coisa de um ano, juntamente com o CDS, bramava contra a paralisia dos sindicatos, acusando-os (visando sobretudo a CGTP) de estarem feitos com o governo, parece ter passado das palavras aos actos. Dizem as más línguas que o protesto dos enfermeiros tem a mão do PSD. Na verdade, a acção conta com o apoio da UGT, liderada por esse exemplo de lutador sindical que em 2015 pugnou pela reedição de um governo PSD-CDS, em vez da aliança do PS à esquerda. E conta, claro, com a movimentação incansável da actual bastonária da Ordem, Ana Rita Cavaco, membro do conselho nacional do PSD. O propósito seria entalar o governo nas vésperas das eleições autárquicas.
Verdade ou não, o certo é que a direita vê nisso o sinal Ler mais »