Arquivo de Março 2019

EUA em busca de “nova ordem” imperialista

Manuel Raposo

A caminho dos três anos de mandato, já não se pode dizer que Donald Trump seja um simples aventureiro guindado à presidência da maior potência imperialista do mundo por um desvario dos eleitores ou um golpe nas urnas. O seu percurso, espalhafatos à parte, tem mostrado o propósito firme das classes dominantes norte-americanas (pelo menos uma parte determinante delas) de se imporem ao resto do mundo de um modo diferente do que tinham feito até aqui, na tentativa de recuperarem a hegemonia em perda. Ler o resto do artigo »



O fascismo sob protecção democrática

Manuel Raposo

O atentado que matou 50 muçulmanos na Nova Zelândia parece ter deixado desconcertada a maioria das autoridades internacionais e dos comentadores de serviço, que sempre vêm a terreiro para nos dizer como devemos entender as coisas. Habituados a apontar o dedo ao “radicalismo islâmico” ou à “extrema esquerda”, viram-se na posição incómoda de ter de explicar o acto de um declarado fascista, admirador de Donald Trump. Ler o resto do artigo »



Extremosos democratas

Urbano de Campos

O Parlamento Europeu enviou à Colômbia uma delegação, que pretendia entrar na Venezuela a 23 de Fevereiro, para apoiar Guaidó e dar cobertura à manobra montada pelos EUA a pretexto da “ajuda humanitária”. Como se sabe, ficaram na fronteira, juntamente com os camiões. Da delegação fazia parte Paulo Rangel (PSD), que se tem destacado no ataque ao regime venezuelano, invocando sempre, claro está, os interesses “do povo”. Ora, o fulano traz consigo uma história que, nesta ocasião, vale a pena relembrar. Ler o resto do artigo »



Contra o apartheid israelita

O jornalista, escritor e activista britânico Ben White, especializado na questão palestiniana, foi convidado pelo Comité de Solidariedade com a Palestina e a Fundação Saramago para uma conferência, seguida de debate, intitulada “O apartheid israelita: o que importa saber”. Terá lugar a 19 de Março, às 18h30, na Fundação José Saramago, em Lisboa.
A sessão insere-se na iniciativa mundial Semana do Apartheid Israelita 2019 que, em Lisboa, conta com mais as seguintes iniciativas co-organizadas pelo CSP:
21 de Março, 18h00 — Mesa redonda com Tiago Rodrigues, Miguel Vale de Almeida e Shahd Wadi, no ISCTE, Av. das Forças Armadas.
25 de Março, 19h00 — Exposição sobre o apartheid e filme sobre Gaza, na Sirigaita, Rua dos Anjos 12F.



Chamar os bois pelos nomes

António Louçã

Nas discussões sobre a violência doméstica, não há dúvidas sobre quem é quem. À direita, aparece-nos um partido – o Vox espanhol – a reclamar o desagravamento das penas previstas para a violência de género. Da esquerda vêm as propostas mais incisivas para combater esse tipo de violência. Mas há surpresas.
Surpreende, por exemplo, que na acesa polémica sobre o juiz Neto de Moura, o PCP recuse criticar o juiz, a pretexto de não querer “individualizar”. Ler o resto do artigo »



Não se enxergam…

Nuno Severiano Teixeira foi ministro da Administração Interna e da Defesa em governos do PS. É professor catedrático da Universidade Nova de Lisboa e Visiting Professor na Georgetown University, Washington. Escreve para a imprensa na qualidade de fazedor de opinião. Um destes dias, escreveu no Público 103 linhas de texto em que repete as maiores vacuidades de qualquer banal notícia acerca da cimeira de Hanói entre Trump e Kim. Destas 103 linhas usa, a abrir, 42 para nos dar a saber que frequenta “o barbeiro mais famoso de Washington” o qual “corta o cabelo a embaixadores e generais, senadores e Presidentes”. E explica: “Como o preço é módico, é lá que costumo cortar o cabelo”.
Exemplares destes, Ler o resto do artigo »



Venezuela

EUA e UE perdem primeiro assalto

Manuel Raposo

Se a manobra montada pelos EUA em 23 de Fevereiro, na fronteira entre a Venezuela e a Colômbia, pretendia ser o golpe final contra o regime venezuelano, a coisa fracassou. Contrariamente à dramatização que os meios de propaganda fizeram do caso, entre eles a “nossa” RTP, nem os militares venezuelanos desertaram, nem os confrontos chegaram para justificar no imediato uma acção militar externa. O cavalo de Tróia não atravessou a fronteira. Ler o resto do artigo »