Arquivo de Novembro 2010

“Crise” da Coreia made in Washington

Grandes manobras militares EUA-Coreia do Sul foram a verdadeira provocação

Workers World / MV (*)

hillary-coreia-do-sul.jpgSempre que uma “crise” a respeito da Coreia aparece de repente nos meios de comunicação dos EUA, a República Popular Democrática da Coreia (Coreia do Norte) é apontada como culpada, e como tendo-a originado com alguma atitude irracional. Os factos, ou aquilo que a eles conduziu, são totalmente desprezados. Foi o que sucedeu com o caso ocorrido nos últimos dias. É verdade que a Coreia do Norte bombardeou a ilha de Yeonpyeong em 23 de Novembro. Mas o que aconteceu antes disso? Ler o resto do artigo »



Solidariedade com a Palestina

O MPPM promove uma sessão pública evocativa do Dia Internacional de Solidariedade com o Povo da Palestina (29 de Novembro, 21 horas, na Casa do Alentejo, Lisboa). Intervenções de Maria do Céu Guerra, Carlos Almeida e Adel Sidarus, da direcção do MPPM, e do embaixador Mufeed Shami, representante diplomático da Palestina. Em 29 de Novembro de 1947, a ONU aprovou a criação, na Palestina, de dois estados, um árabe e um judaico. Só o estado judaico foi constituído. Passados 30 anos, a ONU adoptou nova resolução em que proclamou o 29 de Novembro como Dia Internacional de Solidariedade com o Povo Palestino, convidando governos e organizações a cooperar na solução do problema da Palestina.



Projecto para Abril e Maio

Na sede do núcleo do norte da Associação José Afonso (dia 29, às 21h30), será dado o pontapé de saída ao projecto “Ocupar Abril, tomar de assalto o mês de Maio”, proposto pela AJA-N. Pretende-se com a iniciativa encher os meses de Abril e Maio de 2011 com actividades descentralizadas que celebrem datas, eventos, acontecimentos, homens, mulheres, factos, épocas, etc., que tenham contribuído para o desenvolvimento da humanidade, para tornar o mundo mais livre, mais justo, mais fraterno e solidário. O núcleo da AJA convida pessoas e organizações a estarem presentes na reunião, ou a apoiarem a ideia da forma que entenderem, para que o projecto possa ser partilhado o mais amplamente possível.



França: uma população em estado de alerta

François Pechereau

grevefrance2.jpgDesde a aprovação da lei do presidente Sarkozy relativa à alteração das reformas, a participação nas movimentações de protesto tornou-se menos importante. E, no entanto, há muito tempo que não se via em França uma mobilização de massas tão importante. Cada dia de manifestação reunia milhões de pessoas (até três milhões no auge dos protestos): as fábricas bloqueadas, as refinarias e postos de combustíveis fechados, o lixo não recolhido, as pontes e os pontos estratégicos das cidades cortados.
Os grevistas conseguiram, desde há alguns anos, utilizar técnicas eficazes, quase cirúrgicas, de intervenção, que – com muito poucos recursos – bloquearam o país muito rapidamente. Ler o resto do artigo »



O crivo

As brutais medidas anti-sociais do Orçamento do Estado para 2011 foram aprovadas pela desavergonhada partidocracia PS/PSD. Não houve, portanto, chantagem entre o PS e o PSD. Houve sim, mais uma vez, uma chantagem de ambos contra a maioria do sacrificado e explorado povo português. As monstruosas medidas anti-sociais de Sócrates e Passos Coelho vão ter dois crivos: a Assembleia da República, primeiro, e a revolta popular, depois… FB



Todo o apoio à greve geral!

portinari_a_greve.jpg1. Passo a passo, o patronato e o poder vão impondo aos trabalhadores mais pobreza: menos emprego, menores salários, mais baixo poder de compra, pior saúde, pior educação, menos apoios sociais.

Uma sociedade que promete um futuro pior que o presente não serve!
O capitalismo mostra-se incapaz de responder às necessidades de progresso da população – em Portugal, na Europa e no mundo. É esta a lição principal a tirar do marasmo da economia e das crises sucessivas que, de ano para ano, afundam as condições de vida dos trabalhadores.
O progresso, sob o capitalismo, é hoje uma miragem. Aos trabalhadores interessa um sistema económico e uma organização social de onde sejam banidos o lucro, a exploração do trabalho, a apropriação privada da riqueza – os verdadeiros causadores das crises e da degradação da vida social. Ler o resto do artigo »



Editorial

Sair do beco

O movimento para a greve geral de 24 de Novembro ganha peso, com greves parciais e adesões de diversos sectores. Pode vir a ser o maior protesto de sempre. Mas é preciso dizer que a falta de resultados práticos dos inúmeros protestos já realizados desmoraliza muitos trabalhadores, que não vêem o rumo político do país mudar. O que tem faltado às múltiplas greves e manifestações não tem sido a força para reclamar mudanças políticas – tem sido a força para as impor.

Os trabalhadores parecem, assim, prisioneiros de uma alternativa sem saída: um PS que já mostrou o que pode fazer pelo patronato, mas que ensaia agora uma máscara “de esquerda” diante das propostas radicais do PSD; e um PSD mensageiro declarado de políticas que visam sem rebuço o empobrecimento dos assalariados.
Este ciclo vicioso só existe enquanto não houver força da parte dos trabalhadores para recusarem pagar a crise e oporem-se de forma maciça às imposições patronais. É para começar a criar esta força que a greve geral será importante. Ler o resto do artigo »



O regabofe

Foi dito que 630 mil portugueses estão com dívidas aos bancos. Porque é que o Banco de Portugal e o ministério das Finanças não divulgam a evasão fiscal e as dívidas da banca ao Estado? Se o Banco Central Europeu empresta dinheiro à banca a 1%, porque é que a banca empresta depois a Portugal a mais de 6%? É a especulação capitalista defendida pela partidocracia PS/PSD/CDS. Os serventuários do capitalismo sabem que a execução do orçamento para 2011 vai ser uma fraude porque o sistema financeiro não vai pagar os impostos devidos ao Estado. FB



Um longo lastro de razões para a greve geral

Quem vive "acima das nossas posses" e por que motivo os sacrifícios não são para todos?

Urbano de Campos

greve_geral.jpgDe repente, alguém inventou que “vivemos acima das nossas posses” e que se torna por isso “urgente fazer sacrifícios” – e a ideia fez carreira. Os destinatários exclusivos destas mensagens são os trabalhadores, a quem se exige mais produção com menores salários e menor consumo – para que as empresas, diz-se, sejam mais “competitivas” e possam “de futuro”, assim se promete, criar novos empregos.
Tudo isto assenta numa mentira: o capitalismo está em crise porque não consegue vender tudo o que produz; a competição entre capitais aumenta por isso mesmo, levando as empresas a quererem lucrar mais com menos gastos e com menos mão-de-obra, agora e no futuro. O fito das políticas de “sacrifícios” é, pois, o de embaratecer à bruta a força de trabalho e o seu resultado é o empobrecimento da massa trabalhadora assalariada. Ler o resto do artigo »



NATO não!

“Poucas expectativas” sobre a nova estratégia

Manuel Raposo

lajescimeira.jpgEm declarações feitas à Lusa em 13 de Novembro, o Comandante Operacional dos Açores, tenente general Alfredo Cruz, manifestou “poucas expectativas quanto ao novo conceito estratégico da NATO” porque “a sua principal razão de ser, um inimigo, desapareceu”, desde o fim do Bloco de Leste e a dissolução do Pacto de Varsóvia. Ler o resto do artigo »



NATO não!

Dois terços do gastos militares mundiais são dos países da NATO

Pedro Goulart

natogastos.png
Segundo dados divulgados em Junho deste ano pelo Instituto Internacional de Pesquisas para a Paz de Estocolmo (SIPRI), só em 2009 os gastos militares em todo o mundo atingiram 1,5 biliões (milhão de milhões) de dólares. O valor representa um aumento de 5,9% em relação aos gastos de 2008.
E a perspectiva de gastos é de mais crescimento para 2010. “O governo britânico investiu um total de 15 mil milhões de dólares em operações militares no Afeganistão até Março de 2010. E, para 2010-2011, estão destinados mais 4 mil milhões”, refere Sam Perlo-Freeman, director de um projecto sobre gastos militares do SIPRI. Ler o resto do artigo »



NATO não!

A estratégia da aranha

Para perceber o que se vai passar na cimeira da NATO em Lisboa

Paulo Esperança

aranha_web.jpgO novo conceito estratégico da NATO – a debater e aprovar hoje e amanhã, na Cimeira de Lisboa – foi apresentado em 17 de Maio deste ano por um grupo de doze especialistas liderado pela ex-secretária de Estado de Bill Clinton, Madeleine Albright (1), membro do “clandestino” Grupo de Bildeberg e da Trilateral.
O último modelo estratégico da Nato remonta a 1999, ou seja, antes da “campanha” do Afeganistão, da invasão do Iraque em Março de 2003, dos ataques aos EUA em 11 de Setembro de 2001, de todo o desenvolvimento social que tem gerado mudanças de “cor política” na América Latina, da afirmação do Irão, da instabilidade latente em várias ex-repúblicas da antiga União Soviética.

A definição do novo conceito estratégico da NATO estará claramente influenciada pela “actualização” que, sob a administração Obama, os EUA produziram relativamente ao seu próprio conceito estratégico. O anterior estabelecia que as forças armadas dos EUA deveriam estar aptas a disputar vitoriosamente duas guerras simultâneas (perderam as duas em que se envolveram, Iraque e Afeganistão). O actual estabelece que devem estar aptas a disputar uma multiplicidade de ameaças em qualquer parte do mundo e que, para isso, devem contar com as parcerias estratégicas – UE, ONU, etc. Ler o resto do artigo »



NATO não!

Uma máquina de terror

Pedro Goulart

natonao1.jpgA NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte) é uma organização político-militar imperialista criada em 1949, pretensamente com o objectivo de se opor ao chamado Bloco Socialista e defender o “mundo livre”. Foi formada de início por 12 países, dois norte-americanos (EUA e Canadá) e dez europeus (França, Itália, Reino Unido, Luxemburgo, Bélgica, França, Holanda, Noruega, Islândia e Portugal). Pouco depois integrou a Alemanha, a Grécia e a Turquia.
Só em 1955, o então Bloco de Leste havia de contrapor-lhe outra organização político-militar, com a criação do Pacto de Varsóvia. Ler o resto do artigo »



AJA com a greve geral e contra a NATO

Em comunicado, a Associação José Afonso afirma não poder ficar indiferente à realização da cimeira da NATO e declara apoiar “o vasto movimento de cidadãos contra a Guerra, pela Paz e contra a NATO”, apelando aos associados e amigos para participarem nas iniciativas que vão decorrer em Lisboa, em particular, na manifestação do dia 20, no Marquês de Pombal. Igualmente, a Associação José Afonso afirma-se solidária com a Greve Geral do próximo dia 24 de Novembro, convocada pelas centrais sindicais CGTP e UGT e também por sindicatos independentes.



A disputa partidária e o que está para vir

O romance em torno do OE dá sinal das próximas ameaças do patronato contra os trabalhadores

Manuel Raposo

chega_web.jpgAcertaram, todos os que disseram que o PSD e o PS acabariam por se entender sobre o Orçamento do Estado. Mas a verdade é que a aposta não tinha grande complexidade se fosse descontada toda a ganga de competição partidária que envolveu a questão. Em todo o caso, não achamos que tudo se reduza a um simples “teatro”, como os comentários feitos pelo BE e pelo PCP sugerem. É que a presente competição partidária entre o PS e o PSD, mesmo se assenta numa ampla plataforma de entendimento, dá já sinal das mudanças futuras (e próximas) que o patronato – exprimindo-se agora, sobretudo, pela boca do PSD – quer ver postas em prática. Ler o resto do artigo »



Enquanto forem os ricos…

Enquanto forem os ricos a tentar resolver o problema dos pobres – como ficou patente no último “Prós e Contras” da RTP – a pobreza não vai diminuir mas sim aumentar. FB



Aminetu Haidar em Portugal

A activista saharauí veio agradecer o apoio que lhe foi dado durante a greve de fome, de 32 dias, em Novembro de 2009, feita em protesto contra as autoridades marroquinas, que não a deixavam entrar no seu país. Regressava então dos EUA onde recebera o Prémio Robert F. Kennedy, atribuído a defensores dos direitos humanos. No dia 10 participará numa sessão pública, promovida pela Reitoria da Universidade de Lisboa, que terá lugar às 18h30 no Salão Nobre da Reitoria da Cidade Universitária. A homenagem tem ainda mais significado depois do massacre praticado por tropas marroquinas, ontem dia 8, num acampamento de saharauís que exigiam o reconhecimento dos seus direitos nacionais.



É o tempo dos canalhas

Pululam nos meios de comunicação os conselhos sobre boas práticas de poupança. Há dias, o economista para todo o serviço Camilo Lourenço moralizava, numa emissora de TV, dizendo que “todos” temos de nos convencer a gastar menos. E deu logo ali o seu próprio exemplo: “Ainda ontem fui a um restaurante japonês e paguei 30 euros; ora, posso perfeitamente jantar num restaurante comum e gastar apenas 10 euros”… Já sabem, caros desempregados, pensionistas e beneficiários desse luxo que é o rendimento social de inserção, sigam o exemplo do Camilo Lourenço: não escolham restaurantes japoneses e poupem 20 euros em cada jantar.



Herói português no Afeganistão?

O capitão Luís Silva, piloto da Força Aérea Portuguesa, que vai voar um F16 belga ao abrigo de um programa de troca de pilotos, já se encontra em Kandahar, no Afeganistão. A notícia foi dada na “nossa” RTP por um repórter entusiasmado (Armando Seixas Ferreira), que afirmou ainda que o piloto certamente iria lançar bombas no Afeganistão e que a RTP sabia que não estava excluída a hipótese de caças portugueses virem a entrar em combate naquele país. Mas o mesmo repórter, que interrogou Luís Silva sobre os perigos que este ali poderia correr, não foi capaz de lhe perguntar até aonde iria nos crimes que estaria disposto a cometer ao serviço da NATO!



Liberdade para Cesare Battisti

Destino do activista italiano nas mãos de Lula da Silva

Carlos Completo

cesarebattisti.jpgComo o MV noticiou por mais de uma vez, Cesare Battisti, ex-militante político da esquerda revolucionária italiana, está ilegalmente preso no Brasil, há quase quatro anos. As forças mais conservadoras e reaccionárias deste país pretendem entregá-lo ao fascistóide Berlusconi.
Battisti foi, na década de 70, sucessivamente, militante do Partido Comunista Italiano, da Lotta Continua, da Autonomia Operária e da organização Proletários Armados para o Comunismo. Foi, várias vezes, preso em Itália, abandonando a luta armada em 1978. Conseguiu fugir (em 1981) e exilou-se, passando, depois, “numa fuga sem fim”, por vários países como a França e o México, onde escreveu um livro e exerceu várias actividades culturais. Foi condenado a prisão perpétua em Itália, por via de um “arrependido” utilizado pela justiça italiana. Ler o resto do artigo »



Inquietando a NATO

A AJA-Norte (secção do Norte da Associação José Afonso) promove no Porto, na próxima sexta-feira, dia 5, uma sessão pública sob o tema Contra a NATO, pela Paz e Solidariedade entre os Povos. Numa “Noite de Inquietação”, intervenções de Paulo Esperança e José Pedro Rodrigues inquietam a NATO a partir das 21h30, na sede da Associação (Rua do Bonjardim, 635, 1.º, Traseiras).



Unir todas as forças contra a cimeira da NATO

Apelo do Colectivo Mudar de Vida

Como os nossos leitores sabem, o Mudar de Vida tem incentivado e divulgado as iniciativas de protesto contra a cimeira da NATO prevista para 19 e 20 de Novembro, em Lisboa.

Apoiou desde início as duas plataformas de acção que se formaram em final de 2009 e em inícios de 2010 – a Plataforma Anti Guerra Anti NATO (PAGAN) e a Campanha Paz Sim NATO Não (PSNN).

De acordo com a nossa posição anti-imperialista, consideramos que o movimento contra a cimeira de Novembro e contra a existência da própria NATO deverá ter larga participação popular e reunir todas as forças partidárias, sindicais e cívicas que vêem na dependência de Portugal face à Aliança Atlântica uma ameaça para o nosso povo e uma cumplicidade inaceitável nos crimes cometidos contra outros povos.

Perante isto, foi com preocupação que assistimos, desde final de Setembro, ao surgimento de divergências públicas entre aquelas duas plataformas em torno da manifestação marcada, por iniciativa da campanha PSNN, para 20 de Novembro. Ler o resto do artigo »