Arquivo de Fevereiro 2018

Trabalhadores em luta

Liquidação e despedimentos no Grupo Ricon

Pedro Goulart

RinconA Ricon, um dos maiores grupos têxteis do País, também vai para liquidação. Mais uma empresa insolvente. Mais uma empresa em que as trabalhadoras fizeram vigilância contra a saída de valores da empresa. São cerca de 600 pessoas mandadas para o desemprego. Em 31 de Janeiro, o Tribunal de Comércio de Vila Nova de Famalicão decretou o encerramento e liquidação da Ricon Industrial SA. Ler o resto do artigo »



AutoEuropa

Saúda-se o regresso da luta de classes

Manuel Raposo

AEgrevePaz social, pôr água na fervura, não ampliar o conflito — todos estes apelos têm servido para tentar acabar com a resistência dos trabalhadores da AutoEuropa à prepotência da administração da empresa. Somaram-se os agoiros de que a Volkswagen se iria embora e deixaria toda a gente no desemprego. Lançou-se o alarme de que o PIB do país viria por aí abaixo. Lamentou-se a falta de um dirigente “com carisma” como António Chora, que conseguiu a proeza de manter sossegados, durante 20 anos, milhares de trabalhadores, à custa de acordos com os patrões da VW sempre acertados à mesa. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores em luta

Autoeuropa: resistir ao aumento da exploração

Pedro Goulart

AutoEuropaOs trabalhadores da Autoeuropa iniciaram em 29 de Janeiro um novo horário imposto administrativamente pela empresa e que obriga a trabalhar aos sábados. Em Dezembro, após a rejeição de dois pré-acordos negociados com a Comissão de Trabalhadores, mas que foram rejeitados em votação pela esmagadora maioria dos trabalhadores, a Autoeuropa anunciou um novo modelo de trabalho de 17 turnos semanais. Ler o resto do artigo »



Morreu Francisco Ribeiro, lutador antifascista

FranciscoRibeiro_crop
Com 101 anos de idade, morreu Francisco José Rebelo Ribeiro. Foi um lutador antifascista, residente durante muitos anos e até ao final na cidade de Aveiro, várias vezes detido e torturado pela PIDE. Depois do 25 de Abril, empenhou-se no apoio às candidaturas presidenciais de Otelo (1976 e 1980) e foi um activo organizador local da revista “Versus” (1983-1988).
Um dos filhos de Francisco Ribeiro, o capitão da Força Aérea Júlio Ribeiro, fora dos poucos que não abandonaram os paraquedistas da Base de Tancos aquando da deserção de 123 oficiais em vésperas do 25 de Novembro de 1975. Apareceu depois morto, em circunstâncias mal esclarecidas, que o pai sempre tentou investigar. Ler o resto do artigo »



Trabalhadores das IPSS reclamam mais direitos

Os trabalhadores das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) reúnem-se dia 26 de Fevereiro, em Lisboa, num encontro nacional para debater o papel destas instituições, desfilando depois até ao Ministério do Trabalho para entregar uma resolução com várias reivindicações.
No encontro, os trabalhadores vão defender que os protocolos de cooperação que o Governo faz com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade (CNIS) e a União das Misericórdias Portuguesas (UMP) passem a ter uma rubrica específica para os trabalhadores da IPSS. A grande maioria destes trabalhadores ganha o salário mínimo nacional e quer melhorar o contrato colectivo de trabalho no sentido de obter mais direitos, nomeadamente as 35 horas semanais.



Justiça de classe e justiça de clã

Carlos Completo

Justiça obesaComo já temos afirmado (nunca é demais repeti-lo), a justiça que se pratica num estado capitalista, como Portugal, é uma justiça de classe. Nela, os trabalhadores e os pobres não podem confiar. Segundo as leis das classes dominantes, os patrões podem continuar “legalmente” a explorar os trabalhadores e os explorados acabam geralmente a perder nos pleitos judiciais com o patronato.
Mas também há a justiça de uma ou mais fracções das classes dominantes contra outras, como actualmente acontece no Brasil. Ali, as classes trabalhadoras e os mais pobres ficam nitidamente a perder, além de, se confiarem nessa justiça, estarem, também, a alimentar o movimento fascizante a ela acoplada. Ler o resto do artigo »



CTT: greve e manifestação em 23 de Fevereiro

Os trabalhadores dos CTT marcaram uma greve nacional e uma manifestação para 23 de Fevereiro, contra a redução de pessoal e o encerramento de postos de atendimento. Esta decisão de encerramento irá provocar um aumento das deslocações dos utentes, o que, no caso da população mais idosa, dependente dos Correios para o levantamento das suas pensões, se revela bastante complicado.
Os quatro sindicatos que convocam a greve e a manifestação, convidam a população a juntar-se ao protesto em que contestam os despedimentos, o encerramento de estações de correio e a sobrecarga de trabalho dos carteiros, defendendo a reversão da privatização dos CTT-Correios de Portugal e um serviço postal universal de qualidade.



Trabalhadores em luta

General Electric despede em Setúbal

400 postos de trabalho em risco

Pedro Goulart

GEA General Electric (GE) prepara-se para encerrar a fábrica de Setúbal, acabando com 200 postos de trabalho, a pretexto de uma reestruturação do seu negócio de energia na Europa, afirmando que tal é motivado pelos desafios que o mercado energético mundial enfrenta. No total, a GE vai despedir 12 mil trabalhadores, 18% da sua força de trabalho a nível mundial. Saliente-se que, no caso português, à semelhança do que acontece em muitos outros casos, houve apoio financeiro do anterior governo e do AICEP à empresa para investimentos e criação de mais postos de trabalho. Ler o resto do artigo »