Arquivo da Categoria 'Nenhuma'

Austeridade sem fim?

Pedro Goulart

essa-divida-naominhaApesar da obediência canina do governo PSD/CDS em relação aos centros imperialistas europeu e americano, e depois da festejada “saída” da Troika de Portugal — o fim do tempo do “protectorado”, segundo Portas — continuam as avaliações dos organismos troikanos, onde se tecem considerações e traçam orientações visando condicionar a futura governação do País.
Naquela que foi chamada a primeira avaliação pós-Troika, de Janeiro de 2015, o Fundo Monetário Internacional (FMI) afirma que a passagem do salário mínimo português de 485 para 505 euros foi “prematura” e que o valor anteriormente garantido “não estava num nível tão baixo” que necessitasse do actual aumento. Sabendo que Portugal era, em 2013, o quarto país da zona euro a apresentar custos laborais por hora mais baixos, assim como o pouco que se pode adquirir com 485 euros mensais, é caso para perguntar: quem são as bestas que afirmaram que o salário mínimo de 485 euros, em Portugal, não era assim “tão baixo”? Ler o resto do artigo »



Ainda Charlie Hebdo

A causa das coisas num mundo à beira do caos

José Borralho

SomaliaJesuisMuslimTeria sido por acaso que os maiores carniceiros do mundo, os instigadores da violência, causadores de centenas de milhares de mortos e de muitos milhões de refugiados que deambulam pelo Médio Oriente como vítimas de uma tragédia de dimensões universais (iraquianos, líbios, sírios, palestinianos, malianos, etíopes e outros) — teria sido por acaso, pergunto, que os fautores da guerra tivessem encabeçado a manifestação de Paris em “defesa da liberdade de expressão” e de condenação ao acto terrorista que vitimou doze pessoas? Claro que não foi por acaso! Ler o resto do artigo »



Austeridade mata

Não foram apenas o frio e a gripe os responsáveis pelo elevado número de mortes em Fevereiro

Pedro Goulart

O aumento anormal da taxa de mortalidade em Fevereiro teve, certamente, outras razões para além da gripe e do intenso frio que se fez sentir neste mês. O Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge (INSA) salientou que em duas semanas (na terceira e quarta de Fevereiro) houve mais de 6000 mortos, número muito superior (mais 1000 óbitos) à média verificada nesta altura do ano. E a Associação de Médicos de Saúde Pública afirmou recear que a subida das taxas moderadoras, o aumento das despesas com medicamentos e o agravamento da situação económica das famílias pudessem igualmente ser responsáveis pelo excesso de mortalidade. Ler o resto do artigo »



Crise e decadência da burguesia

António Louçã

g20-protests.jpgUma das características deste túnel é a de não se lhe ver luz alguma no fundo. Os muito crédulos consolam-se ainda com a ideia de que tantos crânios reunidos em cimeiras – G-7, G-20, FMI, BCE, eurocratas – alguma solução devem ter na manga. Mas também os muito crédulos precisam de acreditar em algo que ninguém vê – nem eles. Para nós, muito descrentes nos sábios burgueses, as soluções não se vêem porque não existem: é sempre difícil encontrar um gato numa sala às escuras, principalmente quando nenhum gato lá está. Ler o resto do artigo »



Notícias da Frota da Liberdade IV

Rescaldo da greve geral na Grécia

Manuel Garcia Morales / MV

grevegeralgrecia.jpgUm grupo de 50 pessoas de todo o estado espanhol partiu no dia 22 de Junho de Madrid para Atenas onde se integrará na segunda Frota da Liberdade com destino a Gaza. Do grupo faz parte um amigo do Mudar de Vida, Manuel Garcia Morales, sindicalista e activista político, que se propõe enviar regularmente crónicas da viagem. Estamos a publicar os seus relatos à medida que nos chegam.
Nesta mensagem, de 29 e 30 de Junho, relatos do segundo dia de greve geral na Grécia e mais notícias da Frota. Ler o resto do artigo »



Apelo aos leitores

Faça uma assinatura do MVpapel

capa24_smallnum.jpgDesde que apareceu, o MV está disponível na internet, gratuitamente. Aí é possível manter informação actualizada e comentar os artigos.

A edição em papel é condicionada pelo número de páginas e pela periodicidade. Mas tem vantagens: chega a outros leitores, origina outros contributos, suscita mais reflexão, permite debate em grupo.

Simplesmente… tem custos! Por isso apelamos à divulgação e à assinatura do MVpapel. Só com mais assinaturas podemos suportam os custos de impressão e de envio.

Procuramos uma divulgação mais alargada do jornal e dos princípios políticos do manifesto em que nos baseamos Mudar de Vida – Reerguer a luta contra o capital.
Não semeamos ilusões na colaboração de classes. Divulgamos e apoiamos as lutas diárias. Apostamos em incutir nos trabalhadores confiança nas próprias forças, repúdio pela ordem capitalista, consciência e determinação revolucionárias.

Apoia esta luta. Assina o MVpapel. Distribui-o. Oferece uma assinatura a um amigo.
O debate de ideias faz falta.