Arquivo de Agosto 2008

Vítimas e vítimas

O blogue basco “Un Hombre del Partido” transcreve na íntegra o artigo do nosso colaborador Rui Pereira, A vida como pena, aqui publicado em 8 de Agosto, e com versão resumida no MV-papel nº 10. Na mesma página, e a propósito do mesmo tema – a libertação do patriota basco Iñaki de Juana – pode ver-se um cartune em que uma apresentadora de televisão diz: “O governo vai tentar por todos os meios que Iñaki de Juana não resida nas proximidades de familiares das vítimas… O que não sabemos é se vai consultar as famílias dos assassinados na guerra civil, famílias que viveram 70 anos com os assassinos dos seus.”



Cubanos presos nos EUA

Há 10 anos que cinco cubanos estão presos nos EUA acusados de espionagem. Na verdade, investigavam na Florida as actividades terroristas lançadas contra Cuba a partir dos EUA, que causaram mais de 3 mil vítimas. Entre essas actividades contam-se uma explosão num avião cubano em que morreram 80 pessoas e a introdução do vírus do dengue em Cuba que causou a morte de 13 crianças. Aqueles cinco cubanos, condenados a penas pesadas, aguardam novo julgamento mas estão privados da visita de familiares. A 12 de Setembro, décimo aniversário da detenção dos Cinco, tem lugar uma jornada mundial de solidariedade mundial exigindo a realização de um julgamento justo e a sua libertação.



GM poupa

A General Motors (GM), transnacional com sede nos Estados Unidos e que fechou a sua fábrica de automóveis na Azambuja, prevê encerrar mais quatro unidades no mundo até 2010. Esta uma das medidas com as quais a empresa visa poupar mais de 6 mil milhões de euros nos próximos anos. A GM planeia reduzir em 20% os custos com a força de trabalho, e vai adoptar uma outra medida bem significativa do tipo de relação que o capital mantém com a força de trabalho que explora: os reformados com mais de 65 anos deixarão de ter direito a assistência médica gratuita – ou seja, quando a força de trabalho, como mercadoria que é, deixa de lhe ser útil, o capital não se preocupa já em mantê-la em boa forma.



Projecto associativo inter-bairros

Rap Acção Directa / MV

rapaccaodirecta.jpgDe 28 de Julho a 2 de Agosto, as associações Freestylaz e Khapaz, em conjunto com vários colectivos da Cova da Moura, Monte Caparica, Outorela, Portela, Barronhos, Laranjeiro, Arrentela, Musgueira e Almada, promoveram um encontro no CENTA (na Tapada da Tojeira, Salgueiral, junto a Vila Velha de Ródão). A iniciativa foi proposta em conversas informais, por diversas sedes e espaços, sendo determinada a sua necessidade da forma mais lata possível para que todos os intervenientes exerçam funções no seu planeamento e execução. Ler o resto do artigo »



Intox soma e segue

“A secretária de Estado norte-americana, Condoleeza Rice, considerou que a Rússia se comporta como «fora-da-lei» recusando retirar imediatamente as suas tropas da Geórgia”, refere um despacho da Lusa reproduzido sem comentários pelo Expresso, pelo Diário de Notícias e pela TSF. Fora de qual lei? Os EUA só conhecem a lei da sua própria força militar e dos seus interesses imperiais. Como se pode publicar uma notícia destas sem referir que a própria Rice está à cabeça do que há de pior no banditismo e na selvajaria internacionais? Órgãos de intoxicação social…



A fantasia e a dura realidade

Seiscentos dos 2.300 empregados dos três hotéis da Disneylândia da Califórnia, que se considera “o lugar mais feliz do mundo”, manifestaram-se em frente das instalações da empresa contra os novos contratos de trabalho, que incluem discriminações salariais e seguros de saúde incomportáveis. Os manifestantes, sob o olhar atónito de milhares de turistas, envergavam trajes das principais personagens do mundo Disney. Desfilaram, cantando e empunhando cartazes. Os patrões não gostaram nada, e a polícia também não. Resultado: o Rato Mickey, a Gata Borralheira, o Peter Pan, a Fada Sininho e outros acabaram por ser presos, algemados e levados para a esquadra. (ver fotos do incidente aqui)



Encerrou a Fidar

Enquanto José Sócrates propagandeia o aumento de emprego, numerosas empresas vão encerrando. Desta vez foi a têxtil Fidar, em Guimarães. São mais 300 operários para o desemprego. E a fábrica encerrou sem satisfazer os seus compromissos com os trabalhadores, que deixou sem subsídios e sem férias. Entretanto, deu entrada no tribunal judicial de Guimarães um pedido de insolvência da empresa, requerido pelos operários, com vista a garantirem os seus direitos. Como precaução, os trabalhadores não arredam pé das instalações fabris. E a União dos Sindicatos de Braga vem lembrar que nos últimos meses já foram extintos cerca de 7 mil postos de trabalho na região.



45 dias em greve de fome

Em 5 de Agosto, completou 45 dias de greve de fome o anarquista espanhol Amadeu Casellas Ramón, detido há 22 anos no centro penitenciário de Quatre Camins, Barcelona. Casellas, que participou em assaltos a bancos nos anos 70 e 80 para financiar as lutas operárias da época, exige liberdade condicional por reunir condições legais para tal. Em 1 de Agosto, foi feita uma concentração em apoio a Amadeu Casellas diante da Direcção Geral de Serviços Penitenciários, em Barcelona, serviço responsável por conceder a liberdade condicional. Em mensagem de 18 de Julho, Casellas denuncia o sistema carcerário catalão “fascista e podre” e incentiva todos os que lutam “tanto dentro como fora das prisões”.



E a seguir? Os talheres e os óculos escuros?

Ao reprimir um grupo de activistas climáticos que se manifestavam junto de uma central eléctrica em Kingsnorth, a polícia inglesa apreendeu, além de alguns objectos cortantes, um jogo de mesa humorístico chamado War On Terror [Guerra contra o Terrorismo], alegando que o jogo inclui capuzes de malha que podem ser usados para cometer crimes. O jogo apreendido, em que os participantes criam impérios rivais e fazem guerras entre si, é semelhante a outros jogos conhecidos, como o Risco, à venda em qualquer loja de brinquedos. A diferença principal é que, neste, os jogadores podem divertir-se ridicularizando a retórica de líderes mundiais, como Bush ou Blair.



UGT – quem defende, afinal?

Manuel Monteiro

Pedro Jorge é operário electricista. Trabalha na Cerâmica Torreense. No dia 28 de Janeiro deste ano, foi ao programa “Prós e Contras” e atreveu-se a denunciar a empresa onde trabalha, porque há anos que não é aumentado (desde 2004) ganhando um salário ilíquido (sem descontos) de 541,2 euros.
A toda-poderosa empresa moveu-lhe um processo disciplinar e, na sua conclusão (agindo como juiz em causa própria), aplicou ao trabalhador uma suspensão de 12 dias. Até aqui tudo certo – ou seja, tudo conforme a lei do quero, posso e mando. Ler o resto do artigo »



A chave é a China

Carlos Simões

bushinchina_72dpi.jpgEstes Jogos Olímpicos são muito interessantes em termos políticos. George Bush esteve tranquilamente ao lado da liderança chinesa e fez questão de dizer que assistia ao início dos jogos em “homenagem ao povo chinês.” A atitude dos média é insistir na questão da liberdade de expressão, que é a sua primeira, última e intermédia preocupação. Mas os políticos não estão maçados com a liberalização da China. Ler o resto do artigo »



Estado espanhol: Tentando criminalizar movimentos sociais

Polícias intimidam acampamentos de jovens revolucionários

Espacio Alternativo / MV

Numa clara tentativa concertada para intimidar centenas de jovens revolucionários de toda a Europa que se reuniram em acampamento da organização Espacio Alternativo (filiada na IV Internacional), a polícia da Catalunha (Mossos d’Esquadra) e a Guardia Civil espanhola interceptaram vários autocarros com jovens que, terminado o acampamento, regressavam à origem. Ler o resto do artigo »



Ossétia-Geórgia-Rússia: imbróglio imperialista made in USA

José Mário Branco

ossetia1.jpgNa esteira da queda da União Soviética ocorreram muitas declarações de independência. Quando a Geórgia se tornou independente, os ossetas do sul ficaram em território nacional da Geórgia. Daí resultou uma violenta guerra civil, que terminou com a declaração unilateral de independência pela Ossétia do Sul, no princípio dos anos 90, plebiscitada em 2006 por mais de 95% da população mas nunca reconhecida pelas potências e instâncias internacionais, e muito menos pela Geórgia. Ler o resto do artigo »



Sete guerras em 21 anos

Segundo o jornal on-line russo Lenta.Ru, Sergey Shamba, ministro dos Negócios Estrangeiros da República Autónoma da Abekázia (que, como a Ossétia do Sul, faz parte da Geórgia mas é independente de facto) apelou à comunidade internacional para que proíba a Geórgia de ter forças armadas. “Nos últimos 100 anos, a Geórgia foi um Estado independente durante 21 anos: de 1918 a 1921, e de 1990 até agora. Nesses 21 anos, desencadeou 7 guerras”, disse.



Duplo emprego e duplo emprego

Segundo dados agora divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), o número de trabalhadores que em Portugal desempenham uma segunda actividade atingiu 342 mil no segundo trimestre de 2008, o valor mais alto dos últimos 10 anos. Estas centenas de milhares de trabalhadores vêem-se obrigados a ter uma segunda actividade para poderem sobreviver, atendendo aos miseráveis salários que recebem. Será que este número do INE também inclui as poucas centenas de administradores de empresas públicas e privadas, que, do lado oposto da escala social, ocupam múltiplos cargos com enormes ordenados e, ao fim de alguns anos, se retiram com reformas milionárias?



Há um mês em greve da fome

O Ministério da Educação argelino abriu concurso para 27 mil colocações mas excluiu desse concurso os professores eventuais actualmente sem trabalho. Meia centena destes decidiram entrar em greve da fome em meados de Julho, reivndicando a integração no quadro de professores. No dia 4 de Agosto, após 21 dias de greve, 28 deles foram hospitalizados de urgência em estado comatoso. No dia 11, a polícia de Argel dispersou pela força uma concentração de apoiantes junto à Presidência da República. Os grevistas da fome declararam-se decididos a “ir até ao fim”. Sindicatos franceses e espanhóis estão solidários. O silêncio do governo argelino é total. O dos sindicatos portugueses também.



O governo sul-coreano vinga-se do “Movimento das Vacas Loucas”

Loren Goldner

coreiaprotestos.jpgEm 25 de Julho o governo da Coreia do Sul emitiu mandatos de captura contra os dirigentes sindicais, entre eles o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da Confederação Coreana dos Sindicatos (CCS), bem como dirigentes de sindicatos filiados na Confederação [ver artigo recente neste site Governo sul-coreano persegue dirigentes sindicais]. Ler o resto do artigo »



“Ele era o nosso coração e a nossa língua”

Morreu o grande poeta palestiniano Mahmoud Darwish

José Mário Branco / AP / Wikipedia

darwish1_72dpi.jpgNa sequência de uma delicada operação ao coração, morreu este sábado, em Houston (Texas, EUA), o grande poeta palestiniano Mahmoud Darwish, com 67 anos de idade. É sem dúvida uma grande perda, para o povo palestiniano, para a cultura árabe e para a cultura universal.

Nascido em 1941 na aldeia de Al-Birwa (na Galileia), fugiu com os pais para o Líbano aos 6 anos de idade quando os habitantes foram expulsos pelos sionistas em 1948. Ler o resto do artigo »



Aproveitando as férias de Agosto

Governo sul-coreano persegue dirigentes sindicais

LabourStart / MV

coreia1.jpgHá cerca de dez dias o governo sul-coreano de Lee Myung-bak emitiu mandatos de captura contra dirigentes do movimento sindical. Entre as pessoas incriminadas figuram o presidente, o vice-presidente e o secretário-geral da Confederação Coreana dos Sindicatos (CCS) e dirigentes dos sindicatos nela filiados. Ler o resto do artigo »



Isto não é sociedade que se apresente (VI)

Uma barcaça (que para a TSF é uma “lancha”) com 120 imigrantes clandestinos, entre os quais 25 mulheres e 6 crianças, anda há três dias à deriva no Mediterrâneo, a 60 milhas da costa da Líbia, sem água nem gasolina. Vários apelos por telemóvel de um dos náufragos foram captados na ilha de Lampedusa onde se encontra um dos maiores campos de concentração para imigrantes, dos muitos existentes na Europa. Aos sobreviventes será aplicado o retorno forçado, a “directiva da vergonha” recentemente aprovada na UE. Entretanto a SIC mostrava “pacotes de férias” em Vilamoura, a 12.400 euros por pessoa/semana, com direito, entre outras coisas, a passeios em carros topo-de-gama e iates de luxo.



32 trabalhadores despedidos

O Primeiro de Janeiro tem edição ilegal

Rui Pereira / Rui Ferreira

Após dois meses de salários em atraso, o despedimento ilegal dos jornalistas e outros trabalhadores e um reinício clandestino da edição, às mãos de redactores de um outro órgão de comunicação do grupo, O Primeiro de Janeiro, título com 140 anos de vida na imprensa portuguesa e portuense, tornou-se um exemplo emblemático da selvática gestão capitalista da comunicação social. Ler o resto do artigo »



Independentistas bascos

A vida como pena

Rui Pereira

libertacao-de-inaki-de-juana-chaos.jpgA saída do ex-membro da ETA Iñaki de Juana Chaos no princípio de Agosto, ao cabo de 21 anos de encarceramento, foi antecedida e sucedida por uma campanha político-mediática sem precedentes, nem nos tempos mais agudos do «tratamento de choque» imposto ao problema nacional basco pelo ex-primeiro ministro Aznar e pelo seu partido, o Partido Popular, de direita. Ler o resto do artigo »



Então e as regras do mercado?

“Haverá bancos que, no limite do crédito malparado, vão acabar a ser salvos pelos governos”, afirmou Alan Greenspan, ex-presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos. Então o famoso mercado que tudo regulava, já não se aplica aos banqueiros? Regras do mercado só para despedir livremente trabalhadores, para encerrar empresas e para subir os preços dos bens de consumo. É claro que quando os governos intervêm para salvar os bancos privados o fazem com o dinheiro dos impostos pagos pelos trabalhadores. Maravilhoso mundo capitalista!



Multivending: trabalhadores resistem

O patrão da Multivending (ver notícia ao lado) entrou ontem nas instalações da firma e tentou sair, protegido pela polícia, com dinheiro que estava no cofre da empresa, cerca de 20 mil euros, ao que se julga. Mas os trabalhadores que faziam piquete formaram cordão e disseram que ele podia sair mas o dinheiro ficava. Perante a determinação mostrada, o patrão teve que deixar o dinheiro no cofre, o que para já representa uma pequena vitória. Entretanto, a SIC Notícias passou imagens no noticiário das 20 horas, facto que animou os trabalhadores por verem que a luta está a ser conhecida.



Poupar nos subsídios de desemprego

O Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (MTSS) costuma usar várias artimanhas para atenuar os números oficiais do desemprego e reduzir o montante dos subsídios que paga aos desempregados. Em auditoria da Provedoria de Justiça (que a CGTP agora divulgou) denuncia-se a situação de vários desempregados que perderam os respectivos subsídios, por, tendo sido convocados por carta, não comparecerem nos centros de emprego, devido a não terem recebido as notificações. E como nem sempre é fácil provar que não se recebeu…Fosse por falha dos correios ou por outra qualquer, o certo é que o MTSS fica a poupar nos subsídios.



A juíza racista

A juíza Ana Gabriela Freitas, do Tribunal de Felgueiras, na sentença proferida em 29 de Julho em que condenou cinco ciganos por confrontos com a GNR, acusou por junto os ciganos de serem “marginais” e “traiçoeiros”, de terem “pouca higiene” e de serem “integralmente subsídio-dependentes” do Estado. Estas apreciações provocaram, com razão, um coro de protestos e denúncias. Na Itália, esta juíza já estaria, por certo, a pôr em prática a base de dados racista anticigana do governo Berlusconi. Sendo os Tribunais um dos três poderes do Estado burguês, é um simples caso de “fugiu-lhes a boca para o que pensam”.



Abóboda, Cascais

Trabalhadores da Multivending exigem pagamento de salários atrasados desde Novembro

Manuel Monteiro

Novos dados: Patrão impedido de sair com dinheiro da empresa. Ver na coluna ao lado Multivending: trabalhadores resistem.

multivending3_reduz.jpgO Mudar de Vida esteve com os trabalhadores da Multivending que cercam as instalações da empresa, situadas na rua Alfredo da Silva, na Abóboda, perto de Cascais. O ramo de actividade da empresa é o chamado “vending”, isto é, coloca máquinas de café e de sandes nos locais de trabalho. Os cerca de 40 trabalhadores estão em luta porque, desde Novembro do ano passado, têm ordenados e subsídios em atraso. A divulgação e o apoio às suas exigências são muito importantes, pois, como salientou um dos trabalhadores que falaram para o MV, “se ficarmos reduzidos à nossa pouca força e ao silêncio, poucas hipóteses teremos”. Ler o resto do artigo »



Para os israelitas vale tudo

Os habitantes de Gaza vivem em condições inimagináveis de cerco militar, de cortes à energia e aos produtos essenciais, de desemprego e carências de toda a espécie. Os doentes graves que precisam de cuidados de saúde especializados e urgentes têm de ter autorização de Israel para se irem tratar fora. Mas o Shin Bet, serviço secreto militar israelita, encontrou o método para lidar com esta situação: “Ou te ligas a nós, como informador regular do que se passa em Gaza, ou não te deixamos passar para o hospital”. A secção israelita dos Médicos Pelos Direitos Humanos fez a denúncia em recente relatório com base em entrevistas a 32 palestinianos vítimas da chantagem. (Ha’aretz / AP)



Propaganda enganosa (II)

A “Cinemateca do Porto” − anúncio do ministro da Cultura largamente noticiado e muito aplaudido porque corresponde ao desejo dos portuenses expresso numa petição que andou a circular − é pura ficção. Há apenas umas salas na Casa das Artes a precisarem de restauro total. E uma cinemateca é muito mais do que isso: instalações técnicas de manutenção e recuperação de filmes, equipamentos caríssimos de laboratório e projecção, programadores e projeccionistas, centro de documentação, etc. Num ministério onde não há dinheiro sequer para pagar aos vigilantes dos museus, com que dinheiro (e com que competências) vai o ministro cumprir a promessa?



Propaganda enganosa (I)

Anunciar “medidas” muito mediatizadas é uma das técnicas do governo para deixar vestígios “positivos” nas mentes dos eleitores. Algumas delas são negócios bem duvidosos. Um dos exemplos mais recentes são os 500 mil notebooks a que chamam “computadores”: o “Magalhães” para crianças do ensino secundário que já existia com o nome “Classmate” na Intel e está, aliás, tecnicamente ultrapassado. Só difere no nome e em alguns pormenores de aspecto. Os grandes beneficiados são os fabricantes: a multinacional Intel, a JP Sá Couto e a Prológica. E, claro, os fornecedores de acesso à internet, que ganham novos clientes, como já tinha acontecido com os computadores das “novas oportunidades”.



EUA: execução de hipotecas aumenta

Nos EUA, e num momento em que 740 mil propriedades se encontram em fase de execução da sua hipoteca, os pedidos de novas execuções mais que duplicaram. Isto, no segundo trimestre de 2008, em comparação com o período homólogo do ano anterior. Entretanto, também nos EUA, e como uma das consequências desta crise, verifica-se uma queda forte e generalizada do preço das casas. Só no mês de Maio a queda foi de cerca de 15% em relação a igual período do ano anterior. Quando sabemos que um carro e uma casa faziam parte do sonho americano…



Golfe e deficiência intelectual

No site duma agência privada de informação lê-se que a segunda edição do Torneio de Golf Special Olympics se saldou “por um êxito assinalável”. Além da participação de cerca de uma centena de amantes da modalidade, “foi angariado um donativo, especialmente destinado a deficientes intelectuais, de 2.500 euros para o movimento Special Olympics”, os Jogos Olímpicos para deficientes, este ano em Xangai. O Axis Golfe, um campo de luxo em Ponte de Lima, “acolhe assim mais um evento com elevada responsabilidade social demonstrando que é possível aliar o desporto a causas nobres”. Caridade para as necessidades sociais, apoio estatal para os grandes negócios. Deficiência intelectual de quem?



FICA: dinheiros públicos para os audiovisuais privados

Salazar, M.S. Fonseca e o negócio da “cultura”

Cândido Guedes / Youri Paiva

salazar72dpi.jpgDecididamente, com a ajuda do “concurso” que a RTP inventou no ano passado para determinar “o maior português de sempre”, está na moda o ditador fascista Salazar. Uma sequência de acontecimentos culturais inteligente e oportuna (não veio Salazar, em 1932, “salvar Portugal da crise”? e não estamos nós “em crise”?) veio, a seguir a esse “concurso”, pôr a render os “aspectos humanos” do homem que nos impôs o analfabetismo, a opressão religiosa, o atraso económico, a Pide, o campo de concentração do Tarrafal e milhares de mortos em 13 anos de guerra colonial. Nomeadamente Os meus 35 anos com Salazar, da afilhada do ditador Maria da Conceição Rita e de Joaquim Vieira, e o livro da jornalista Felícia Cabrita Amores de Salazar. Ler o resto do artigo »



“Pouco significativos” para quem?

Num ano em que os funcionários públicos e os trabalhadores das empresas privadas voltaram a perder poder de compra e em que semanalmente se assiste à falência de pequenas e médias empresas, o banqueiro Ricardo Salgado veio anunciar que, até final de 2008, o BES terá de emagrecer as despesas com pessoal, através de despedimentos, rescisões e reformas antecipadas “pouco significativos”, para combater a grave crise interna. Não se julgue, contudo, que se trata de qualquer medida para diminuir prejuízos, não! A razão para esse anúncio está na perda de 28% de lucros: no primeiro semestre de 2008, o BES só conseguiu 264,1 milhões de euros de ganhos!