Auschwitz-Gaza

Quarta-feira, 30 Janeiro, 2008

Cavaco Silva participou, na Sinagoga de Lisboa, numa evocação das vítimas do holocausto promovida pela Comunidade Israelita, na data do aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz. Como chefe de um Estado laico é inaceitável que se tenha prestado a fazê-lo num templo e de acordo com os ritos de uma confissão religiosa – colaborando de facto na deturpação que procura reduzir um crime contra a humanidade a um crime contra os fiéis de uma dada religião. No plano político, é igualmente inaceitável que a condenação dos crimes de ontem dos nazis contra os judeus tenha servido, objectivamente, para silenciar os crimes praticados hoje contra os palestinianos – quando, aos olhos de todos, milhão e meio de pessoas estão cercadas no campo de concentração em que o Estado israelita, reclamado herdeiro das vítimas de Auschwitz, transformou a faixa de Gaza.






Deixe o seu Comentário