O Irão decidiu deixar de vender petróleo em dólares

M. Raposo - Segunda-feira, 10 Dezembro, 2007

notadedolar.jpgO Irão decidiu deixar de vender o seu petróleo a troco de dólares norte-americanos, passando a transaccioná-lo por outras divisas – anunciou o ministro iraniano Davoud Danesh-Jafari.
O dólar dos EUA é ainda a principal moeda para as transacções internacionais de petróleo – hegemonia essa mantida cada vez mais à custa do poderio militar. Mas a continuada quebra de valor que tem sofrido face ao euro (e mesmo em relação a outras moedas, como a chinesa, a japonesa ou a russa) faz com que os países exportadores de petróleo que recebem pagamentos em dólares percam dinheiro.

O Irão (quarto produtor mundial) propôs aos outros parceiros exportadores que se diversificasse a venda de crude por outras moedas, tendo tido, até agora, apenas o apoio da Venezuela. Mas é possível que outros sigam atrás se a medida vingar.

Em 2002 o Iraque tomou a mesma decisão que os iranianos agora tomaram, facto que acelerou os preparativos de invasão por parte dos EUA. Os norte-americanos temem, ontem como hoje, perder influência nos mercados se se verificar que decisões desta espécie produzem um efeito de dominó em vários países – e a respeito não apenas do petróleo mas também de outras trocas internacionais em que o dólar tem ainda grande peso.

Uma redução drástica do uso do dólar como moeda internacional poderia significar um colapso da economia norte-americana, que é hoje, na verdade, uma economia fraca, dependente em grande medida da preponderância do dólar com meio de pagamento.






3 Comentários a “O Irão decidiu deixar de vender petróleo em dólares”

  1. carmélio disse:

    Manuel,
    Como provas que o Iraque tomou a mesma decisão em 2002?

  2. mraposo disse:

    Caro Carmélio:

    Não foi em 2002, foi em Novembro de 2000. Lapso meu.
    O caso não foi muito divulgado, mas é um facto provado. A França e outros países europeus convenceram Saddam Hussein a vender-lhes petróleo em euros, no âmbito do programa “petróleo-por-alimentos”, programa esse em que o Iraque, sujeito a embargo económico, vendia quantidades limitadas de petróleo a troco de bens essenciais.
    Dois anos depois, em Abril de 2002, um responsável da OPEP (por sinal iraniano), falando numa reunião promovida pela União Europeia em Espanha, referiu a possibilidade de a curto prazo a OPEP trocar o padrão dólar pelo padrão euro.
    Além disso, pela mesma altura, quando o euro se firmava como moeda concorrente do dólar, vários países trocaram parte das suas reservas em dólares por euros (China e Irão, por exemplo).
    Pode encontrar estes e outros dados em
    http://www.terra.com.br/istoe/1747/economia/1747_euro_ameaca_dolar.htm (“Euro ameaça dólar”) ou em
    http://resistir.info/europa/euro_dolar_port.html
    (“Um novo século americano? O Iraque e as guerras ocultas do euro-dólar” F. William Engdahl).
    Saudações,
    Manuel Raposo

  3. Carmélio disse:

    Obrigado!

Deixe o seu Comentário