Quando são eles a dizer

Domingo, 25 Novembro, 2007

Clemente Lima, magistrado, inspector-geral da Administração Interna, afirma em entrevista ao Expresso que nem a GNR, nem a PSP têm formação suficiente em matérias de direitos fundamentais dos cidadãos. Diz ser “inadmissível a polícia ir a um sindicato pedir informações sobre uma manifestação”, como aconteceu na Covilhã. Ou, ainda, que “não podemos ter como resultado de uma infracção de trânsito a pena de morte”, em referência a uma perseguição policial ocorrida no Porto, em 2006, em que um condutor acabou morto a tiro. Quem faz o alerta não é um “perigoso esquerdista”, é um homem do aparelho de Estado – apenas falando com desassombro.






Deixe o seu Comentário