Crimes de estado

Quinta-feira, 24 Fevereiro, 2011

A utilização de uma arma eléctrica (taser) pelo Grupo de Intervenção dos Serviços Prisionais contra o preso Carlos Gouveia, em greve de fome na prisão de Paços de Ferreira, apesar de alguns o apresentarem como um caso isolado, é um indicador significativo do tipo de sociedade repressiva em que vivemos. Foi um acto repugnante, particularmente no contexto em que se verificou. E que teve o apoio do Sindicato dos Guardas Prisionais. Provavelmente é para acções repressivas deste tipo (cá dentro e lá fora) que recentemente aumentaram os gastos dos Ministérios da Administração Interna, da Justiça e da Defesa.






Deixe o seu Comentário