“Inquéritos” israelitas

Domingo, 21 Março, 2010

Apertado pelas provas de um relatório da ONU sobre crimes de guerra cometidos na Faixa de Gaza, o governo israelita admitiu ter usado fósforo branco contra a população palestiniana. Mas daí não resultam medidas sérias. Com a habitual impunidade, Israel reduziu a questão a “excessos” de dois oficiais, quando se sabe que este e outros procedimentos criminosos foram prática corrente e resultam de orientações dadas ao mais alto nível. Com o habitual cinismo, o governo israelita informou ter aberto 150 inquéritos; desses, só 36 seguiram para investigação criminal; e finalmente apenas um resultou em condenação: um soldado apanhou 7 meses de prisão por roubar cartões de crédito a um palestiniano.






Deixe o seu Comentário