Cimeira da NATO em Edinburgo

Em busca de saída para o desastre no Afeganistão

Manuel Baptista - Terça-feira, 24 Novembro, 2009

afghanistan_war_72dpi.jpgNo momento da cimeira parlamentar da OTAN/NATO em Edimburgo e à beira de um desastre militar, igual em repercussões à enorme derrota dos EUA no Vietname, os altos dirigentes do «império global» tentam desesperadamente uma solução.
É uma armadilha onde eles próprios se foram colocar e onde se enterraram ao longo de oito anos de guerra criminosa e que serviu exactamente o oposto do seu propósito declarado.

Agora, a Al Caida está muito mais forte na região, tem apoios sólidos no Paquistão; existe um movimento Taliban armado capaz de colocar em xeque as forças tecnologicamente muito superiores da NATO; nenhum problema estrutural do Afeganistão está resolvido, todos os problemas vitais das populações se agudizaram.

Nem sequer têm a aparência a seu favor, de ter instalado uma «democracia de tipo ocidental», de tal modo corrupto é o governo Karzai, instalado e mantido pelos EUA.






Um Comentário a “Cimeira da NATO em Edinburgo”

  1. afonsomanuelgonçalves disse:

    “Serviu o oposto do propósito declarado”. Ora o propósito, declarado ou não, da agressão militar dos EUA, é a declaração de guerra imperialista que tem como fim a política de saque e de rapina própria do imperialismo como não pode deixar de ser. Outra coisa a salientar no texto é a consideração solene das virtudes da «democracia de tipo ocidental» que não foi levada a cabo pelas tropas terroristas ao serviço do imperialismo. E quanto à ingerência política e belicista, de legitimar a agressão para implantar essa “democracia”, também é significativo a sua aceitação política.
    Muita gente na Europa goza desta impunidade, de estar convencida de que pode em nome dos seus “valores superiores”, interferir na vida interna dos outros povos atrasados.
    De facto, não é por acaso que Engels considerou as Teses sobre Feuerbach como uma obra fundamental do marxismo.

Deixe o seu Comentário