Quem sai aos seus…

João Bernardo - Quinta-feira, 5 Junho, 2008

prescottbush.jpgHá alguns dias publicámos uma curta notícia relativamente aos negócios que Prescott Bush, avô do actual presidente dos Estados Unidos e pai do penúltimo presidente, manteve com o regime nazi. Estas relações prosseguiram mesmo depois de os Estados Unidos terem entrado na 2ª guerra mundial e só terminaram no final de 1942, quando o governo norte-americano interveio em empresas ligadas à família Bush.

É curioso também saber que, segundo informações difundidas num programa da BBC em Julho de 2007, Prescott Bush teria estado ligado a um esboço de conspiração com ramificações militares, organizada em 1933 contra o governo de Franklin Delano Roosevelt. Para tentar fazer com que o país saísse da profunda crise económica precipitada em 1929, o presidente Roosevelt e os seus conselheiros instauraram o New Deal, ou seja, um conjunto de medidas destinadas a reactivar o mercado mediante o aumento do poder de compra da população mais pobre, o início de obras públicas que diminuíssem o desemprego e a promoção das exportações.

Ora, se bem que estes planos correspondessem aos interesses sociais da tecnocracia e dos sectores mais avançados do capitalismo, muitos outros chefes de empresa temiam que aquele ensaio de coordenação económica fosse o primeiro passo para a instauração de um capitalismo de Estado que os marginalizaria a eles, que eram proprietários privados. Este contexto explica a tentativa de conspiração. É interessante reflectir nesta perspectiva acerca das orientações económicas e políticas prosseguidas pelo filho e pelo neto de Prescott Bush.






Deixe o seu Comentário