Apelo à solidariedade com os trabalhadores egípcios

Ditadura de Mubarak reprime duramente movimento grevista

(MV / Iraq Tribunal Turquia) - Sexta-feira, 11 Abril, 2008

Em reacção a uma chamada à greve, em 6 de Abril, pelos trabalhadores do complexo têxtil de Mahalla (a maior fábrica do Egipto), o regime de Mubarak decidiu a ocupação de El-Mahalla pela polícia, mandou sequestrar os líderes grevistas Kamal El-Faiumy e Tarek Amin e prendeu activistas políticos das mais diversas tendências, tanto no Cairo como noutras cidades.
Impotente para calar os protestos, a polícia de Mubarak usou balas de borracha, gás lacrimogéneo e mesmo balas reais contra a população de Mahalla, que decidiu protestar nas ruas da cidade e em outras localidades. Resultado: pelo menos dois mortos, centenas de feridos e 800 presos.
Os trabalhadores egípcios e os seus apoiantes fazem um apelo à solidariedade, no sentido de ser exigido – nomeadamente junto das embaixadas do Egipto – que a ditadura de Mubarak liberte as 800 pessoas que foram presas, incluindo os mais de 150 activistas políticos (socialistas, esquerdistas e islamistas), os mais de 600 manifestantes de Mahalla (sobretudo mulheres e crianças) e os dois líderes do Comité de Greve de Mahalla.

(Embaixada do Egipto em Lisboa: fax: 213 017 909; email: egyptembassy@ip.pt )






Deixe o seu Comentário