Conselheira presidencial

Segunda-feira, 1 Julho, 2019

Desde Novembro passado, os EUA cortaram 700 milhões de dólares de ajudas que se destinavam a combater a epidemia de Ébola na África Central e a apoiar a desminagem de países do sudeste da Ásia, nomeadamente os que foram vítimas das agressões norte-americanas das décadas de 60-70. O corte seguiu-se à publicação no Washigton Post de um artigo louvando a acção do governo de Trump contra o tráfico de seres humanos e condenando os países que, na óptica dos EUA, “não fazem o suficiente” para o combater. O artigo era assinado por Ivanka Trump, filha do presidente e conselheira superior da Casa Branca. No próprio dia da publicação do artigo, foi divulgado um memorando presidencial que determinou os cortes das ajudas. Com este trabalho combinado, a família Trump despe de véus a “ajuda humanitária” dos EUA, facto que só clarifica a relação política do imperialismo norte-americano com o chamado Terceiro Mundo.






Deixe o seu Comentário