“Um teatro cuidadosamente montado”

Sexta-feira, 30 Março, 2018

O jornalista australiano John Pilger, um dos poucos com coragem para denunciar os crimes do imperialismo, como fez a respeito da invasão do Iraque em 2003, definiu o caso Skripal (ver entrevista à RT) como “um teatro cuidadosamente montado” pelo governo e pela imprensa do Reino Unido com o apoio do parlamento. Destaca ele que “é extraordinário que haja uma tentativa de homicídio e um local de crime e não haja provas nenhumas”.
Quanto aos motivos, sublinha que não se descortina nenhum da parte da Rússia — mas se encontra facilmente um motivo por parte dos que acusam a Rússia. E esse é: justificar as acções da NATO nas fronteiras ocidentais da Rússia, uma situação sem precedentes desde a segunda grande guerra. Pilger destaca a semelhança do caso Skripal com a campanha de 2003 que precedeu a invasão do Iraque, toda ela “baseada em propaganda e mentiras”. Este conhecimento — diz ele, visando os média e a opinião pública — devia “pelo menos gerar cepticismo” a respeito da campanha lançada pelo governo britânico.






Deixe o seu Comentário