Eles protegem-se

Domingo, 18 Março, 2018

O vergonhoso convite a Passos Coelho para professor catedrático numa universidade pública portuguesa (o ISCSP) mostra bem como o poder protege o poder. Bem se esforçam os apaniguados por enaltecer os “conhecimentos” de Passos Coelho e valorizar a “experiência” do homem como primeiro-ministro, mas não se safam do que é evidente: compadrio, nepotismo. O tacho entregue de mão beijada a Passos Coelho, para além do mais, fê-lo passar à frente de professores que esperavam a sua ocasião, razão suplementar para os abaixo-assinados que circulam contra a nomeação.
Nada disto demoveu o deputado e dirigente do PS Sérgio Sousa Pinto de vir em socorro de Passos Coelho, achando muito bem o convite. Sentenciou ele: “A experiência de um ex-primeiro-ministro, qualquer que seja, é única e valiosa”. Note-se: “qualquer que seja”!
Sousa Pinto, que se opôs ao acordo que formou o actual governo, tem a pose de uma reserva de direita do PS. Nestes casos, há que estabelecer pontes com as demais direitas. Quaisquer que sejam.






Um Comentário a “Eles protegem-se”

  1. leonel clérigo disse:

    AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ!

    Sérgio Sousa Pinto que, como ele diz, nasceu “betinho” em Lisboa, é hoje um jovem e promissor social-democrata que, de modo profundo, “conhece Portugal”. Isto é o que se pode designar de “transformação louvável”: contam-se pelos dedos os “betinhos” bafejados pela sorte de conhecer bem este País, coisa comprovada pelo facto de não sairmos da “cepa-torta”. E se ele se rebela agora contra os “insultos vomitados” ao ser colocado numa “cátreda” – é certo que sem baldaquino… – o antigo Primeiro-Ministro Passos Coelho, fala ele do que sabe.
    Ele sabe que a nossa Universidade – salvo algumas excepções – é um ninho de “cientistas” de alto gabarito o que se pode comprovar pelo grande volume de “pedradas no charco” “editadas”, vindas da nossa “cultura do entendimento” do Professorado universitário. O novo “cientista” Passos Coelho fica assim bem acompanhado.
    Por mim e ao contrário do que parece julgar-se, não é coisa de estranhar que o novo Prof. Passos venha a ter larga audiência dos jovens estudantes da Academia. E isto porque acredito que ele irá, como bom português, relatar nas aulas a interessante “experiência” e à maneira do ministro Varoufakis, o que se passava nas “reuniões” com a Sra. Merkel e Companhia e como lá se “endrominavam” as gentes deste nosso – e seu – País. Uma boa maneira do ex-governante Passos continuar digno da “bandeira” que trazia na lapela. Sobretudo, ministrando às novas gerações o conhecimento necessário para não cairmos noutra, cumprindo assim à risca a boa sabedoria popular: “Homem prevenido, vale por dois”.

Deixe o seu Comentário