Mais desemprego, diz o governo

Pedro Goulart - Segunda-feira, 10 Dezembro, 2007

desemprego8_72dpi.jpgÉ o próprio governo a prever um aumento do desemprego até 2010 nos novos dados a enviar a Bruxelas ainda esta semana. Segundo eles, haverá nessa data um acréscimo de 9% em relação à taxa de desemprego projectada o ano passado.

No número zero do MV, em Abril, chegávamos a uma taxa real de desemprego acima de 10%, isto é, cerca de 560 mil pessoas desempregadas, incluindo aqui os habitualmente considerados como desempregados, os inactivos disponíveis, os desencorajados de procurar o primeiro emprego e os que trabalham menos de 15 horas por semana.

Com a continuação da elevada taxa de desemprego de longa duração, com as previsíveis deslocalizações de empresas e reestruturação de outras, com os excedentários da função pública, com novos despedimentos colectivos na calha, é negra a perspectiva de emprego em Portugal nos próximos tempos.

Só uma grande unidade e uma enorme combatividade das classes trabalhadoras poderão impor uma barreira ao agravamento da situação de desemprego e precariedade económica em que se encontram centenas de milhar de famílias portuguesas.






Deixe o seu Comentário