Teodora, sob a capa da “ciência económica”

Pedro Goulart - Quinta-feira, 16 Março, 2017

TeodoraAs declarações de Teodora Cardoso à Rádio Renascença e ao Público sobre o défice orçamental de 2016 (que ficou em 2,1% do PIB), geraram forte polémica. Anteriormente, a economista considerava que atingir a meta proposta pelo governo era uma questão de fé. “Houve milagre?”, perguntaram-lhe agora os jornalistas. “Até certo ponto, houve”, respondeu ela.
Desde Janeiro de 2012 à frente do Conselho de Finanças Públicas, nomeada pelo governo Coelho-Portas, Teodora Cardoso defendeu a linha dos chamados cortes “estruturais”, afirmando que o programa do PSD-CDS era “prudente, credível e fundado na melhor e mais sofisticada ciência económica” e que, por isso, a sua “racionalidade” a levava a saudar essas medidas “científicas”. Nas suas análises e previsões, esteve geralmente com a troika, em companhia da Comissão Europeia, do FMI, da OCDE e do ministro das Finanças alemão Wolfgang Schauble.

Na dita entrevista, Teodora valoriza as ameaças de sanções por parte da Comissão Europeia, que, a seu ver, terão sido o factor determinante para fazer inflectir a orientação inicial do Orçamento do Estado elaborado pelo governo PS, obrigando nomeadamente a “cortes muito profundos no investimento público”.

Na mesma linha, desvaloriza a redução do défice conseguido em 2016. Agitando o pecado de “logo a seguir voltarmos a fazer despesas”, acaba por enaltecer os méritos disciplinadores do chamado Procedimento por Défice Excessivo — vulgo, austeridade e tutela por parte da troika.

Dizendo-se apartidária, Teodora Cardoso é um exemplo de como, sob a capa da “ciência económica”, se presta serviço a uma classe, defendendo os seus privilégios, com o único propósito de que os negócios capitalistas prosperem contra todos os obstáculos — se necessário, como no caso do consulado PSD-CDS, à custa do empobrecimento impiedoso dos assalariados.

Não admira que Passos Coelho tenha saído em sua defesa dizendo-a “competente e idónea” e assegurando que a senhora “sempre teve um posicionamento político que não é próximo do PSD”.






Um Comentário a “Teodora, sob a capa da “ciência económica””

  1. afonsomanuelgonçalves disse:

    De facto esta senhora respira ciência económica por todos os poros e com ela estão os mais eminentes vultos da defesa intransigente, nesta fase crítica do capitalismo de exploração e rapina sobre os trabalhadores dado que a situação de sobre-produção não permite distribuir a mais-valia de forma mais suave e com menos empobrecimento da classe trabalhadora. Todavia, está nas mãos dos trabalhadores inverter esta situação intolerável uma vez que a crise garante- lhes armas, até então nunca conseguidas, para iniciar um combate sem tréguas e colocar estes “cientistas” onde desde há muito deviam estar que é a barra dos tribunais.

Deixe o seu Comentário