Um mar de mortos

Quarta-feira, 7 Janeiro, 2015

Em três dias, no final do ano, foram encontrados à deriva no Mediterrâneo dois barcos carregados de emigrantes, mais de 1300, vindos sobretudo da Síria e de África e tentando alcançar costa europeia. A tripulação tinha abandonado os navios. Os “passadores”, nestes casos, compraram navios em fim de vida, baratos, e deixaram- -nos antes de chegarem à vista de terra, com a carga humana. A polícia italiana calcula que a receita dos traficantes tenha atingido os 8 milhões de euros.
Segundo os dados conhecidos, em 2014 morreram afogados mais de 3 mil pessoas, e nos últimos 15 anos o número de mortos chegou aos 23 mil. Só a Itália, em 2014, aportaram 167 mil destes emigrantes. O fluxo destes desesperados que fogem da fome e das guerras vai aumentar em 2015, prevê-se.
A Europa recebe assim de ricochete uma parte dos efeitos da colonização e das guerras de destruição que tem promovido em África e no Próximo Oriente.






Deixe o seu Comentário