Desventuras de suas altezas

Sexta-feira, 5 Abril, 2013

Cristina de Bourbon, filha do rei de Espanha, foi constituída arguida no desvio de milhões de euros de fundos públicos, que já levara a tribunal o marido Iñaki Urdangarín. Cristina será ouvida por decisão do juiz José de Castro, na qualidade de co-proprietária da empresa Aizóon e de dirigente da Fundação Nóos. Diego Torres, ex-sócio de Iñaki, já entregou a este juiz um conjunto de e-mails, cartas e outros documentos que envolvem a infanta Cristina e o pai (e quando será ouvido o próprio rei?). Esta “desventura” que atinge a família real espanhola é mais um dos escândalos que envolvem a monarquia, assim como o governo do Partido Popular (entre os quais actual presidente do partido e chefe do Governo, Mariano Rajoy). Só que a Procuradoria espanhola, geralmente lesta e agressiva a criminalizar os movimentos sociais e os defensores das autonomias, desta vez recorreu da decisão do juiz do processo. Aparentes contradições da Justiça, que não são mais que as contradições inerentes a uma justiça de classe.






Deixe o seu Comentário