Boas festas I

Quarta-feira, 5 Janeiro, 2011

De visita aos militares portugueses no Kosovo, o ministro da Defesa pediu-lhes esperança no futuro e elogiou o desempenho das tropas num país em que “falta paz, segurança e bem-estar”. Teria sido oportuno que o ministro, em vez desta conversa de praxe, explicasse aos portugueses como justifica ter tropas num país cujos dirigentes foram acusados pelo Conselho da Europa de tráfico de órgãos humanos retirados a prisioneiros sérvios assassinados. É que, sabidos estes factos, o apoio à máfia que domina o Kosovo coloca as autoridades portuguesas mais perto do papel de cúmplices de um crime contra a humanidade do que do propósito anunciado pelo ministro de “permitir o bem conviver de pessoas”.






Deixe o seu Comentário