Espanha: solidariedade com Alfonso Sastre

Iniciativa Internacionalista de novo debaixo de fogo

Pedro Goulart - Quinta-feira, 25 Junho, 2009

alfonsosastre72dpi.jpgPrimeiro foi a tentativa frustrada de impedirem a Iniciativa Internacionalista (encabeçada por Alfonso Sastre) de participar nas eleições para o parlamento europeu, com o pretexto de que esta candidatura teria algum tipo de articulação com a ETA. Agora, na sequência do recente artigo de Sastre no jornal Gara, intitulado A prosa e a política, onde defende uma saída negociada e pacífica para o problema basco e manifesta as suas preocupações caso tal não se verifique, surge uma campanha deturpadora e torpe do PSOE, do PP e dos média do sistema (RTVE, El País, ABC e El Mundo) contra este grande dramaturgo do estado espanhol. O El País chega a titular que há “indignação contra o partido de Sastre”.

Seguidamente, vem o “sindicato” Mãos Limpas apresentar uma queixa na Procuradoria-Geral do Estado contra Alfonso Sastre, acusando-o de “ameaças e colaboração” com a ETA. A organização da extrema-direita espanhola recheia a acusação referindo “que os antecedentes do denunciado existem em arquivos policiais e da Guarda Civil revelando ligação directa com a esquerda abertzale e com a organização terrorista ETA”.

Pelos vistos, o franquismo permanece bem vivo entre as classes dirigentes espanholas, burguesas e burbónicas, que não se mostram capazes de erradicar as “soluções” violentas enformadoras da sua prática política.






Um Comentário a “Iniciativa Internacionalista de novo debaixo de fogo”

  1. HEITOR DA SILVA disse:

    Caro pg:Esta notícia transcende-se a si própria. É natural porque existe como tal notícia sem que a possamos negar. É aberrante como facto real que é sem que possamos ir mais além da sua denúncia.Denuncia essa que
    no exterior tem pela frente toda uma barreira de desinformação que impede a sua visibilidade em condições objetivas de ser consequente.
    Denuncia essa que, em Euskadi, não é possível sem que seja classificada de ilegal e os seus denunciantes detidos ou perseguidos por delito de opinião- legal (? ) no estado espanhol com todas as consequências sabidas. Sastre pode não ser detido porque o sistema o teme que seja “um tiro pela culatra”. Mas Mordaça permanece. Até quando?

Deixe o seu Comentário