Utentes sem médico de família

Quinta-feira, 2 Abril, 2009

Só na cidade de Lisboa são mais de 100 mil as pessoas sem médico de família. Duplicaram entre 2004 e 2007. Isto deve-se, sobretudo, ao aumento de inscritos nos Centros de Saúde e à diminuição (em 8%) do número de médicos de clínica geral nestes Centros. Igualmente, e no mesmo período, o rácio do número de inscritos por cada médico de clínica geral subiu 14% (passou de 1582 para 1837). Os factos são teimosos, contradizem a propaganda do governo.






Um Comentário a “Utentes sem médico de família”

  1. eirinhas disse:

    Eu e minha mulher fazemos parte dos que perderam o médico de família, porque o nosso médico, não obstante ainda estar com muita força de vida, resolveu, a exemplo de tantos outros, seguir a via da aposentação, batendo com a porta, sofrendo nós, agora, na pele, as consequêncis das más políticas.Todavia, temos o que merecemos, porque foi isto que quisemos e, portanto, não temos de nos queixar!

Deixe o seu Comentário