Arquivo de Abril 2019

Faltou dizer: “Je suis Macron”

Manuel Raposo

O incêndio da catedral de Notre Dame deu campo a um exercício exaltado e enjoativo de nacionalismo francês e europeu. O “símbolo da cristandade” medieval serviu para glorificar, de modo sub-reptício, o sentido imperial da Europa do século XXI, de que a burguesia francesa não abdica. E como esse símbolo não se pode perder, Macron declarou logo — no seu tom caricato de imperador menor — que dentro de cinco anos teremos uma catedral “ainda mais bela”! Ler o resto do artigo »



Liberdade para os presos políticos palestinos

No passado dia 17 comemorou-se o Dia Internacional de Solidariedade com os Presos Palestinos. Várias organizações portuguesas subscreveram um manifesto reclamando a sua libertação, protestando contra as torturas e arbitrariedades a que são submetidos e denunciando a política criminosa do Estado de Israel.
Como é vincado pelo manifesto, promovido pelo MPPM, passaram pelo sistema penal israelita 10 mil presos de 2015 para cá, 850 mil desde 1967 e um milhão desde 1948. Em Fevereiro de 2019, havia nas cadeias israelitas 5440 presos políticos palestinos, incluindo 493 a cumprir sentenças de mais de 20 anos de prisão e 540 condenados a prisão perpétua. Os menores não são poupados: desde 2000, pelo menos 8 mil menores palestinos foram detidos, interrogados e acusados pela justiça militar israelita.
Ver aqui texto completo e lista de subscritores.



Ainda a NATO, 70 anos

De Salazar a Marcelo

Urbano de Campos

No ambiente de incerteza que agita a NATO, não admira que os europeus menores, como Portugal, sejam por vezes os mais pressurosos defensores da continuidade e mesmo do reforço da Aliança, num reflexo próprio de quem não se quer ver na pele de um órfão. A nova justificação para a continuidade da NATO — as “modernas ameaças” que assombram o Ocidente, nomeadamente o “perigo russo” e o “terrorismo” — propagou-se por todos os cabeçalhos e todos os discursos. Ler o resto do artigo »



NATO, 70 anos

Muita discórdia, são os nossos votos

Urbano de Campos

Os 70 anos da NATO foram comemorados em ambiente de azedume: os EUA de Trump a desvalorizarem a data e os europeus a darem a entender que não será por eles que a aliança se irá desfazer. Trump disse aos europeus que não tinha lugar na agenda para a festa de anos e o secretário-geral da aliança, o dinamarquês Stoltenberg, foi ao Congresso norte-americano fazer uma discursata sobre os méritos e as vantagens da “amizade” transatlântica. Ler o resto do artigo »



Conan Osíris ao serviço do apartheid

António Louçã

Roger Waters escreveu ao cantor português uma carta tocante e fraterna, convidando-o a boicotar o Festival da Eurovisão. Só tinha um erro: considerar Osíris “talentoso”. Na verdade, Osíris é um artista medíocre e cabotino, que irá a Tel Aviv prestar um serviço ao colonialismo israelita e cairá no esquecimento imediatamente a seguir. Ler o resto do artigo »